Novas vagas para estágios na Função Pública vão ser financiadas por outras fontes que não o PRR

O Governo decidiu reforçar o programa de estágios na Administração Pública com mais 500 vagas, que serão financiadas “por outras fontes” que não o PRR, esclarece a resolução do Conselho de Ministros publicada esta manhã.

As 500 novas vagas que o Governo decidiu adicionar ao programa de estágios na Administração Pública não vão ser financiadas pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), ao contrário do que está previsto para os mil lugares disponibilizados inicialmente, esclarece a resolução do Conselho de Ministros publicada esta segunda-feira em Diário da República.

“Determinar que a segunda edução do EstágiAP XXI integra 1.000 vagas de estágios financiadas exclusivamente através de bolsas a atribuir às entidades promotoras, no âmbito do PRR, a que acrescem as não preenchidas na primeira edição, e ainda até 500 vagas financiadas por outras fontes de financiamento”, lê-se no diploma conhecido esta manhã.

Foi há pouco mais de uma semana que o Governo aprovou em Conselho de Ministros o reforço dos estágios da Administração Pública, programa que tem em vista rejuvenescer os quadros do Estado.

Na resolução publicada esta segunda-feira, sublinha-se tem “havido grande interesse dos serviços e organismos integrados na administração direta e indireta do Estado na participação deste programa”, daí que se criem agora “condições para que um mais elevado número de jovens com formação superior possa aceder e que mais serviços e organismos da administração direta e indireta do Estado possam integrar, colhendo frutos do rejuvenescimento do saber transmitido pelas instituições de ensino superior na criação da geração de portugueses mais qualificados”.

Este programa dirige-se aos jovens licenciados menores de 30 anos (ou 35 anos, no caso das pessoas com deficiência ou incapacidade funcional igual ou superior a 60%), que se encontrem à procura do primeiro emprego ou de um novo emprego correspondente à sua área de formação. No âmbito destes estágios, está previsto que os jovens recebem uma bolsa correspondente à primeira posição da carreira de técnico superior, isto é, 1.059, 59 euros.

Os estágios têm a duração de nove meses, “podendo o respetivo contrato ser celebrado a tempo completo ou a tempo parcial, devendo ser sempre observado o limite mínimo de 50 % do período normal de trabalho semanal”.

Na edição de 2021, este programa contou apenas com 500 vagas, universo que foi reforçado na edição deste ano.

Recomendadas

Espanha quer avançar com gasoduto que fica a mais de 750 quilómetros de Portugal

Governo espanhol está empenhado num gasoduto que vai servir para enviar gás argelino para o norte da Europa, deixando Portugal e o porto de Sines para trás. Madrid em silêncio sobre terceira interligação entre Portugal e Espanha.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Preço da pescada já aumentou 76% desde fevereiro, alerta Deco

Nos últimos cinco meses, o preço do cabaz alimentar é mais caro 27,61 euros. Olhando exclusivamente para as categorias de produto com maiores subidas de preços entre 23 de fevereiro e 10 de agosto, logo depois do peixe (mais 22,01%), a carne é a que mais se destaca, com um aumento de 17,17%.
Comentários