Premium“Novo aeroporto? Digam-nos de quem são os terrenos de Alcochete”

Governo criou “problema central” ao nacionalizar TAP e será avaliado em função disso, diz ex-ministro de Passos Coelho. Novo aeroporto não é necessário e falta transparência. Pedro Nuno Santos devia ter exigido obras na Portela durante pandemia mas “vacilou” face à Vinci, afirma.

Nesta entrevista a que pode assistir esta sexta-feira na JE TV, com versão em podcast no Spotify, o ex-dirigente do PSD e antigo ministro dos Assuntos Parlamentares do Governo liderado por Pedro Passos Coelho defende uma maior transparência no debate sobre a localização do futuro aeroporto de Lisboa. Critica a “fixação” de António Costa pela TAP, considera que Pedro Nuno Santos foi um ministro “fanfarrão” que vacilou perante o grupo francês Vinci e defende que a administração da TAP terá de se demitir se se comprovar que as duas tutelas desconheciam a indemnização paga a Alexandra Reis. Mas acrescenta: “algum gestor pagaria 500 mil euros sem o conhecimento do accionista? Isto numa empresa privada. Quanto mais numa pública”.

Gostava de começar por lhe pedir um comentário sobre os sucessivos casos que têm minado a solidez do Governo.
É um problema de fundo que tem a ver com a constituição do Governo. Este foi um Governo que veio depois da geringonça. É um Governo que tem uma maioria absoluta sem ter lutado por ela e quase sem acreditar que a pudesse vir a ter. É um Governo em que a sua estrutura é uma muito interna do Partido Socialista. Diria mais, há excesso de lógica de relações familiares entre pais, filhos, primos e irmãos. Parece que é tudo em circuito fechado. (…)

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Veja aqui a entrevista completa a Miguel Relvas:

Recomendadas

“É importante pensar na estratégia do que se quer para a TAP”, refere administrador da Vila Galé

Gonçalo Rebelo de Almeida considera que é necessário perceber se Portugal quer transformar a TAP numa companhia mais pequena só a Europa ou se o país quer continuar a apostar no seu crescimento.
TAP

Finanças desconheciam bónus de três milhões acordado com CEO da TAP

O antigo ministro João Leão não teve conhecimento do montante do bónus da CEO da TAP que consta do contrato assinado a 8 de junho de 2021.

Premium“Vamos continuar a trabalhar as duas marcas em separado”

Neves e Almeida e CEGOC vão trabalhar em autonomia e com equipas de gestão próprias, mantendo a identidade de cada marca.
Comentários