Novo aeroporto para Lisboa: “Não podemos esperar mais”

Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo Português, garantiu que a capacidade do aeroporto Humberto Delgado está esgotada e alertou para a necessidade de uma decisão rápida do Governo.

Paulo Whitaker/Reuters

Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo Português, garantiu que a capacidade do aeroporto Humberto Delgado está esgotada e alertou para a necessidade de uma decisão rápida do Governo sobre o novo aeroporto para Lisboa. O responsável falou na sessão de encerramento do Congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), noticia a Renascença.

“Não podemos exigir mais turistas e não termos as condições de infraestruturas para os acolher e permitir o seu fluxo interno no destino e da sua redistribuição inter-regiões”, alertou Francisco Calheiros. O presidente da confederação sublinhou a urgência da situação com o incremento da chegada de turistas dos Estados Unidos e da China no próximo ano, resultado da aposta da TAP nestes dois países.

“O impacto que estes dois mercados gigantes podem ter no nosso turismo – e consequentemente na economia nacional – é incalculável. A capacidade aeroportuária de Lisboa é determinante para a competitividade da economia portuguesa. Não vamos nem podemos esperar mais”, alertou.

Recomendadas

Black Friday faz volume de pagamentos com Ifthenpay aumentar 18% em novembro

A Ifthenpay, empresa portuguesa especializada e líder de mercado em pagamentos digitais para empresas, anunciou que registou um crescimento de mais 18% ao longo do mês de novembro na movimentação financeira através dos seus pagamentos digitais (+95,5 milhões de euros), e por comparação com período homólogo do ano anterior.

BPI distribui presentes de Natal a crianças no país

A edição de 2022 deverá mobilizar milhares de pessoas – entre trabalhadores sociais, voluntários, colaboradores e clientes do banco – para realizar os desejos de crianças apoiadas por instituições sociais que lutam contra a pobreza infantil em todo o país.

Exigir participação de mulheres em conferências é o novo grito pela igualdade

O BNP Paribas Portugal assumiu o compromisso de garantir 40% de mulheres no Comité Executivo do Banco e no G100 até 2025 e de não participar em conferências em cujos painéis não estejam mulheres. Acordo com movimento francês Jamais Sans Elles foi oficializado no dia 10 de novembro.
Comentários