Novo Banco emite 275 milhões de euros em dívida sénior preferencial

A dívida conta para os requisitos de fundos próprios e de passivos elegíveis e tem uma maturidade até 15 de setembro de 2023 com uma opção de reembolso antecipado um ano antes desta data, tendo uma taxa de juro anual de 4,25%, informou o banco à CMVM.

O Novo Banco informou esta segunda-feira que realizou uma emissão de dívida sénior preferencial no valor de 275 milhões de euros, segundo a informação divulgada à Comissão do Mercado e Valores Mobiliários (CMVM).

No comunicado enviado ao regulador, o banco faz saber que a dívida tem uma maturidade até 15 de setembro de 2023, mas com uma opção de reembolso antecipado um ano antes desta data. Estas obrigações terão uma taxa de juro anual de 4,25%, acrescenta a nota.

Esta dívida contará para os requisitos de fundos próprios e de passivos elegíveis (MREL), que serão de 17,52% a partir de 2022, conforme o definido pelo Banco de Portugal em junho passado.

A emissão desta segunda-feira foi colocada junto de investidores institucionais internacionais, finaliza o comunicado do banco à CMVM.

Relacionadas

Novo Banco terá de cumprir requisitos de capital e passivos elegíveis de 17,52% a partir de 2022

Novo Banco terá de cumprir requisitos de fundos próprios e de passivos elegíveis (MREL) de 17,52% em 2022, segundo um comunicado enviado à CMVM.
Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários