Novo Banco reduz custos com corte de mais de 25% das estruturas de topo

O Novo Banco simplificou a estrutura da organização ao nível dos gestores de primeira linha, reduzindo dez estruturas centrais, o que corresponde a uma diminuição de 25,6% nas estruturas de topo do banco.

Rafael Marchante/Reuters

“O Novo Banco conclui a primeira fase dos trabalhos do Projeto de Transformação, simplificando a estrutura da organização ao nível dos gestores de primeira linha, tendo reduzido 10 estruturas centrais, e respetivos diretores coordenadores, passando das atuais 39 para 29, o que representa uma redução de 25,6% nas estruturas de topo do banco”, informou em comunicado a instituição.

Segundo o Novo Banco, através desta reorganização, a entidade “passa a ser a instituição com a estrutura mais leve e eficiente do setor bancário nacional”.

O banco liderado por António Ramalho especificou que “este trabalho de simplificação realizou-se em várias áreas do banco, designadamente, nas áreas de ‘marketing’, comerciais e recuperação de crédito”.

Paralelamente, seguindo as melhores práticas de governação, o Novo Banco aprovou ainda a segregação entre a Gestão de Risco e o Controle de Risco, tendo sido criada a figura de ‘Chief Risk Officer (CRO)’, que ficará na dependência de membros não executivos do Conselho de Administração.

“Todas estas medidas estarão implementadas a 01 de janeiro de 2017”, adiantou o Novo Banco.

Recomendadas

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.

Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.
Comentários