Novo bólide da Volskwagen vai ser produzido na Autoeuropa

O novo SUV a produzir em Portugal pela VW, vai ser apresentado em Março de 2017 no Salão de Genebra. Deverá ter o nome do protótipo que o antecipou: ‘T-Roc’.

Fabricado em Portugal pela Autoeuropa, o novo modelo da Vokswagen (VW) será apresentado em Março do próximo ano, no Salão de Genebra. O formato definitivo será revelado no segundo semestre de 2017, e vai manter o nome ‘T-Roc’ do protótipo que o antecipou, segundo afirmou Herbert Diess à revista britânica ‘Autocar’.

É considerado como a versão SUV do VW Golf. Espera-se que conte com a mesma distância entre eixos do Golf (2.640 mm). As dimensões exteriores serão, aproximadamente 4,2 m de comprimento, 1,8 m de largura e 1,5 m de largura.

Este SUV deverá ter capota fechada e contará com cinco portas. Espera-se que venha a contar com o motor 1.0 TSI, um turbo de três cilindros, mas também o novo 1.5 TSI Evo de quatro cilindros com versões de 128 e de 148 cv e terá versões de tração dianteira, mas também opção de tração integral.

Em termos comerciais, o T-Roc deverá representar um acréscimo de preço, no máximo, de 10% relativamente ao praticado pelas versões equivalentes do Golf.

No mês passado foi anunciado que a Autoeuropa vai contratar 1.500 trabalhadores para a produção do novo modelo.

Recomendadas

Fundação Repsol apoia o empreendedorismo com prémio de 60 mil a 100 mil euros

Em Portugal já participaram e submeteram candidaturas 117 startups sendo que, até ao momento, quatro receberam investimento do Fundo de Empreendedores para desenvolverem os seus projetos.

Insolvências de empresas caem 5,7% em janeiro face ao mesmo mês de 2022

A filial da Crédito y Caución salienta no entanto que “face ao mesmo período do ano passado, as declarações de insolvência requeridas por terceiros cresceram 26% (mais 16 empresas), enquanto as declarações de insolvência apresentadas pelas próprias empresas tiveram uma subida de 10% (mais sete empresas)”.

“Faz mais sentido que seja alguém fora da família”. Mercadona discute sucessão do presidente

A CEO da Mercadona Online assume que não vai candidatar-se ao lugar do pai na sucessão do cargo de presidente da empresa de distribuição alimentar. “Faz mais sentido ser um executivo do que alguém da família”, referiu numa entrevista em podcast de uma startup espanhola.
Comentários