Novo encontro entre Erdogan e Putin agendado para esta sexta-feira

A agenda oficial do encontro que terá lugar em Sochi, Rússia, fala de conversas sobre o acordo para a exportação de cereais. Mas os analistas internacionais consideram que pode ir mais além, mesmo que Ancara não faça parte da solução geral para a guerra.

Pavel Golovkin/EPA via Lusa (Pool)

As conversas agendadas para esta sexta-feira entre o presidente russo, Vladimir Putin, e o seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, abordarão, entre outras coisas, o acordo mediado pela Turquia para desbloquear as exportações de grãos ucranianos através do Mar Negro e dos estreitos do Bósforo, adiantou fonte oficial do Kremlin – depois de, dias antes, ter sido o gabinete de Erdogan a revelar o encontro.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que as negociações abordarão a eficácia do acordo, que deve ser renovado após 120 dias e que foi esta semana implementado. O primeiro navio transportando grãos ucranianos para os mercados mundiais partiu de Odessa na segunda-feira, com destino a Istambul e finalmente ao Líbano.

Erdogan disse esta semana que o “nó dos cereais foi desatado” em Istambul e que o acordo era um “produto” do sucesso diplomático de Ancara, já que muitas nações e instituições internacionais emitiram declarações para agradecer à Turquia pelos seus esforços.

“Todo o mundo aceita que as medidas tomadas para superar a crise dos cereais, que o mundo está a observar de perto, é o produto dos esforços do nosso país”, disse Erdogan num discurso que passou nas televisões turcas.

A Turquia espera que um navio de transporte grãos por dia deixe os portos ucranianos, desde que o acordo de passagem segura seja válido, o que implica uma vistoria por parte dos quatro envolvidos: Turquia, Rússia, Ucrânia e ONU.

Apesar das poucas declarações oficiais sobre a matéria, os analistas consideram que o encontro em Sochi, estância balnear russa no Mar Negro, tem necessariamente que abordar outros temas ligados à guerra na Ucrânia – apesar de os países terem muito sobre o que conversar, desde logo num quadro em que a situação militar em Nagorno-Karabakh começa a dar mostras de nervosismo de ambas as partes. Tal como sucede na Síria, Rússia e Turquia estão de lados opostos da barricada: Ancara apoia o Azerbaijão e Moscovo é a favor da Arménia.

De qualquer modo, e mesmo que a questão ucraniana passe do limitado assunto da exportação de cereais, ninguém espera que daquele encontro surja qualquer novidade relevante sobre a guerra – dado que, como já ficou claro, é com os Estados Unidos que Moscovo sabe que tem de falar quando houver alguma coisa para dizer.

Mesmo assim, Erdogan tenta assumir uma posição de forte presença nesse cenário (de futuro), e o acordo sobre os cereais é a ‘janela de oportunidade’ certa para o fazer. Ancara considera o acordo pode ser a base para um cessar-fogo abrangente para acabar com a guerra de quase seis meses na Ucrânia, mas ninguém acredita que a sua intervenção possa chegar tão longe.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Turquia tenta assegurar compra de caças F-16 norte-americanos

O Congresso norte-americano não está especialmente interessado em que a Turquia possa comprar mais 40 caças F-16 norte-americanos. Uma delegação de Ancara vai partir para os Estados Unidos para acompanhar a evolução do problema.

República Srpska aumenta cooperação económica com a Rússia

Apesar das sanções, apesar da possível entrada na União Europeia, apesar da oposição dos restantes elementos da Bósnia-Herzegovina, a parte sérvia de federação está a aumentar o grau de exposição à Rússia.
Comentários