Novo modelo da Volkswagen cria mais 500 empregos em Palmela

Fornecedores da Auto-Europa vão contratar 500 novos trabalhadores para produzir peças e acessórios para o novo modelo que vai ser fabricado em Palmela.

As empresas do Parque Industrial da Autoeuropa fornecedoras do grupo Volkswagen vão contratar mais 500 trabalhadores com a chegada de um novo modelo a Palmela, informa hoje o Negócios. Estes 500 trabalhadores vão-se juntar aos 1.500 contratados diretamente pela Volkswagen.

O Negócios avança que, Daniel Bernardino, representante dos trabalhadores dos fornecedores considera que a contratação de 500 trabalhadores é uma estimativa credível. Bernardino destacou que esta até é uma estimativa “conservadora”, mas sublinha que a comissão de trabalhadores prefere não avançar, para já, com a sua estimativa.

“A estatística dizia-nos que por cada posto de trabalho que a Autoeuropa criava, eram criados mais três no Parque Industrial, mas essa estatística agora não está certa”, aponta o responsável ao Negócios. “Porque há empresas que não estão aqui instaladas e que ganharam peças no novo modelo”.

Segundo o Negócios, os testes no Parque Industrial avançam, tal como na Autoeuropa. Assim, as empresas do Parque Industrial que vão fornecer peças ao novo carro já estão a “preparar as equipas e a avançar com a produção de algumas peças”, conta Daniel Bernardino.

Relacionadas

Autoeuropa vai contratar 1.500 trabalhadores

O novo modelo deverá entrar em produção em meados do próximo ano, avança o Negócios.
Recomendadas

Reditus volta a adiar a apresentação dos resultados de 2021

A empresa estima que “a publicação dos seus documentos de prestação de contas individuais e consolidadas de 2021 seja concretizada até ao dia 24 de fevereiro de 2023”.

Dinamarquesa Eurowind Energy investe mais de 400 milhões de euros em Portugal

A multinacional dinamarquesa Eurowind Energy, que inaugurou esta terça-feira o segundo parque solar de produção de eletricidade do país, quer investir até ao fim desta década mais de 400 milhões de euros em Portugal.

Oito empresas portuguesas no index de igualdade de género da Bloomberg

Em análise estiveram cinco aspetos, desde a capacidade de liderança de talentos até às medidas contra o assédio sexual em ambiente profissional.
Comentários