Novo Onda Parque pode custar 9 milhões

Um grupo de empresários portugueses de diversas áreas de atividade está interessado na aquisição dos terrenos e reconstrução do antigo parque aquático da Costa da Caparica, Almada, com um custo global estimado de 6 a 9 milhões de euros. “Há um negócio em curso para aquisição dos terrenos do antigo Onda Parque por um grupo […]

Um grupo de empresários portugueses de diversas áreas de atividade está interessado na aquisição dos terrenos e reconstrução do antigo parque aquático da Costa da Caparica, Almada, com um custo global estimado de 6 a 9 milhões de euros.

“Há um negócio em curso para aquisição dos terrenos do antigo Onda Parque por um grupo de investidores, todos portugueses”, confirmou à agência Lusa Sónia Eugénio, da empresa imobiliária que está a mediar o negócio, adiantando que a “escritura de compra e venda ainda não tem data marcada”, mas deverá ser efetuada “dentro de poucos dias”.

Segundo Sónia Eugénio, o projeto de reconstrução ainda não deu entrada na Câmara de Almada porque a aquisição do imóvel ainda não está consumada, mas a mediadora do negócio diz que os potenciais compradores acreditam que será possível reabrir o antigo parque aquático durante o verão de 2015.

“O que vamos fazer é uma reconstrução. O projeto já existe, naturalmente. Portanto, o que há a fazer são atualizações. Daí os potenciais compradores estarem confiantes no cumprimento desse prazo”, justificou Sónia Eugénio, escusando-se, no entanto, a revelar qualquer informação sobre os investidores interessados.

Entusiasmado com a anunciada reabertura dos escorregas do Onda Parque no próximo verão, Hélder Nogueira, gestor da página do facebook `Reconstrução do Onda Parque´, que também está a acompanhar o processo, disse à agência Lusa que o investimento global, de acordo com as estimativas dos potenciais compradores, deverá situar-se “entre os 6 e os 9 milhões de euros, valor que inclui o montante necessário para a aquisição dos terrenos”.

“O prazo de execução das obras está estimado em 6/7 meses”, acrescentou Hélder Nogueira, convicto de que será possível recuperar uma parte significativa das antigas infraestruturas do Onda Parque.

À espera que o negócio se concretize está, também, o dono dos terrenos, o empresário de construção civil Libório Temporão, que em tempos teve outros projetos para os terrenos – que adquiriu, em 2005 ao antigo proprietário do Onda Parque, de nacionalidade holandesa -, mas que nunca se concretizaram.

“O que está previsto é a venda da empresa Impredível, que tem como único património os terrenos do antigo Onda Parque”, disse à Lusa Libório Temporão.

Fonte da Câmara Municipal Almada escusou-se a tecer qualquer consideração sobre a eventual reabertura do Onda Parque em 2015, referindo, apenas, que “até ao momento não deu entrada nos serviços da autarquia qualquer pedido relacionado com esse projeto”.

Recomendadas

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.

Alemanha não vai seguir “política fiscal expansionista” do Reino Unido

O Governo alemão anunciou um fundo de 200 mil milhões de euros destinado a proteger consumidores e empresas do aumento dos preços do gás impulsionado pela guerra na Ucrânia.