Novo recorde. Dívida pública portuguesa atinge 279 mil milhões (com áudio)

Líquida de depósitos das administrações públicas, a dívida pública nacional aumentou 2,1 mil milhões de euros no período em análise. O BdP explica que o aumento se deveu sobretudo a “emissões líquidas de títulos de dívida no valor de 3,5 mil milhões de euros, sobretudo títulos de dívida de longo prazo”.

A dívida pública nacional aumentou 3 mil milhões de euros em abril, segundo os dados divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal (BdP). O valor total deste indicador subiu assim para os 279,0 mil milhões de euros.

Este marca o quarto mês consecutivo de aumentos no indicador, que estava em 269,2 mil milhões de euros no fecho do ano anterior. O valor agora reportado é igualmente um máximo absoluto da série relativa à dívida pública portuguesa, que conheceu um assinalável crescimento com a pandemia.

A nota do BdP explica que este “acréscimo refletiu, essencialmente, emissões líquidas de títulos de dívida no valor de 3,5 mil milhões de euros, sobretudo títulos de dívida de longo prazo”, que representou 2,3 mil milhões de euros. Em sentido contrário, a dívida pública portuguesa beneficiou de “uma amortização parcial de empréstimos do Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (MEEF), em 0,5 mil milhões de euros”.

Também a dívida pública líquida de ativos em depósitos das administrações públicas aumentou, embora a um ritmo menor do que o indicador nominal. Os depósitos das administrações públicas aumentaram 0,9 mil milhões de euros, pelo que, subtraindo este valor, a dívida portuguesa cresceu 2,1 mil milhões de euros, cifrando-se em 255,9 mil milhões de euros.

Recomendadas

Calendário do PRR é para manter

Eventual adiamento do calendário do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), sugerido há poucas semanas por Marcelo Rebelo de Sousa e Mariana Vieira da Silva, será de muito difícil concretização. Foco vai permanecer na execução. O tema foi abordado nas contactos que uma equipa da Comissão Europeia teve esta quarta-feira em Lisboa com o Governo, grupos parlamentares e parceiros sociais.

Finanças reembolsam 2.475 milhões de IRS. Prazo médio de pagamento regressa ao pré-pandemia

Até agora, foram entregues cerca de 5,5 milhões de declarações de IRS pelos contribuintes, sendo que 32% foram submetidas através do IRS Automático (preenchimento automático dos dados da declaração por parte da AT, através das informações comunicadas de forma automática às Finanças) e 68% foram submetidas de forma manual, revela o Governo.

Défice orçamental cai 411 milhões até maio. Saldo primário é positivo em 2,5 mil milhões

A melhoria do saldo das Administrações Públicas até maio reflete a dissipação dos efeitos da pandemia, refere o Ministério das Finanças em comunicado.
Comentários