Novobanco vende carteira de malparado “Orion” por 65 milhões

O valor nominal da carteira de crédito granular “Orion” ascendia a 231,3 milhões de euros. O valor de venda do portefólio totalizou 64,7 milhões de euros. O que traduz um desconto de 70% face ao valor nominal.

Em comunicado ao mercado, o Novobanco deu nota da “celebração de Contratos de Compra e Venda de Créditos não produtivos e ativos relacionados”.

Após conclusão de um processo de venda competitivo, “o Banco celebrou Contratos de Compra e Venda com um consórcio de fundos geridos pelas West Invest UK Limited Partnership e LX Investment Partners III respetivamente, para a venda do Projeto Orion, um portefólio de créditos não produtivos e ativos relacionados.

O portefólio compreende mais de 12 mil empréstimos e, a setembro de 2021, o seu valor nominal (outstanding balance) ascendia a 231,3 milhões de euros. O valor de venda do portefólio totalizou 64,7 milhões de euros. O que traduz um desconto de 70% face ao valor nominal.

“A concretização da transação, nos termos acordados, deverá ter um impacto marginal positivo na posição de capital do Novobanco e na demonstração de resultados de 2021”, garante o banco.

O Projeto Orion inclui créditos não produtivos e ativos relacionados abrangidos pelo Mecanismo de Capital Contingente, “estando os contratos sujeitos a ajustamentos de perímetro habituais em operações desta natureza”.

A carteira de malparado cuja venda foi assinada hoje é de pequenos créditos ao consumo e crédito a pequenos negócios. O banco tinha mandatado a KPMG para esta operação.

Estes contratos representam uma redução de 168,1 milhões de euros no montante de crédito não produtivo (NPL – non-performing loan) e representam mais um marco relevante para o Novobanco, permitindo ao Banco executar a sua estratégia de convergência para a média da UE.

Relacionadas

Novo Banco recebeu parcela de 112 milhões de euros que estava retida por João Leão

O Fundo de Resolução validou a transferência de 112 milhões de euros para o novobanco que estavam retidos pelo Ministério das Finanças.
Recomendadas

Montepio aumenta para 1,25 mil milhões a emissão de obrigações hipotecárias que vencem em 2026

Na prática, é um reforço da emissão, mas em concreto o banco liderado por Pedro Leitão anuncia a ficha de uma nova emissão de 750 milhões de euros que são fungíveis com os 500 milhões já emitidos, pelo que no final a emissão total sobe para 1.250 milhões de euros.

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.
Comentários