Número de mortos no Normal Atlantic eleva-se para cinco

Quatro corpos foram retirados do mar no âmbito das operações de salvamento que decorrem depois do ferry Normal Atlantic, que fazia travessia entre Grécia e Itália, se ter incedidado, elevando para cinco o número de mortos. “As autoridades italianas confirmaram que quatro corpos, cuja identidade não é conhecida, foram retirados” disse o ministro do Mar […]

Quatro corpos foram retirados do mar no âmbito das operações de salvamento que decorrem depois do ferry Normal Atlantic, que fazia travessia entre Grécia e Itália, se ter incedidado, elevando para cinco o número de mortos.

“As autoridades italianas confirmaram que quatro corpos, cuja identidade não é conhecida, foram retirados” disse o ministro do Mar grego, Miltiadis Varvitsiotis, acrescentando que “já foram resgatados 391” dos 478 passageiros e membros da tripulação do navio.

No domingo, um passageiro grego já tinha sido também retirado do mar sem vida.

As operações de resgate continuam a decorrer para libertar os passageiros e tripulantes do ferry Norman Atlantic, que se incendiou no domingo com 478 pessoas a bordo quando fazia a travessia entre Patras, no sudoeste da Grécia, e Ancona, em Itália.

No local estão seis helicópteros da marinha italiana, que estão a içar os passageiros do ferry, num processo demorado e dificultado pelas condições climatéricas adversas, que obrigaram a que os quatro rebocadores que deviam transportar a embarcação acabassem por voltar para trás.

O procurador italiano de Bari, Giuseppe Volpe, anunciou a abertura de uma investigação criminal sobre o incêndio.

A investigação vai tentar perceber como é que o navio se incendiou e se houve negligência por parte da tripulação, que já foi criticada por alguns passageiros por alegadamente não estar preparada para o sucedido nem estar bem treinada sobre os procedimentos de evacuação do ferry.

O dono da embarcação garantiu, entretanto, que todas as medidas de segurança foram tomadas e que o ferry tinha passado todas as inspeções de segurança, incluiundo as portas de incêndio, no dia 19 deste mês.

O incêndio no navio deverá ter começado no convés destinado aos veículos quando o ferry se encontrava a cerca de 81 quilómetros da ilha grega de Corfu.

A bordo do navio estão entre 20 a 25 camiões carregados de azeite, de um total de 195 veículos.

O ministro da Marinha grego afirmou que 268 passageiros são gregos e a tripulação é composta por 22 italianos e 34 gregos. Viajavam ainda no navio 54 turcos, 44 italianos, 22 albaneses, 18 alemães, além de cidadãos suíços, franceses, russos, austríacos, britânicos e holandeses.

OJE/Lusa

Recomendadas

Lavrov acusa os EUA de “brincarem com o fogo” em Taiwan

Sergei Lavrov diz que os EUA estão a tentar fazer do mundo “o seu quintal” através da aplicação de sanções e acusa-os de “brincarem com o fogo” em Taiwan.

Irão promete “resposta proporcional” à redução dos laços com a Ucrânia

A Ucrânia decidiu reduzir os laços diplomáticos com o Irão, depois de ter sido noticiado que esse país forneceu drones à Rússia. Este sábado, o Irão veio prometer uma “resposta proporcional”.

Sondagem: Lula já tem 46% das intenções de voto. Bolsonaro estável nos 35%

Lula da Silva continua a ser o candidato mais popular, na corrida à Presidência brasileira. Tem agora 46% das intenções de voto, estando 11 pontos acima de Jair Bolsonaro.