Número de novas empresas sobe 20% este ano. Insolvências diminuem 5%

Relativamente ao número de constituições, apenas Bragança (-15,2%) e Horta (-9,1%) apresentam variação negativa. Em paralelo, só se registou um aumento das insolvências em Setúbal (+39,2%); Santarém (+33,3%) e Évora (+5,9%), e o sector da Eletricidade, Gás e Água foi o mais afetado (+125%).

Nos primeiros cinco meses deste ano, constituíram-se 21.653 novas empresas em Portugal, um acréscimo de 20,7% face ao mesmo período de 2021. Em paralelo, as insolvências diminuíram 5,3%, num total de 2.029, segundo a Iberinform.

Em termos de distribuição, Lisboa apresenta o número de constituições mais significativo, 7.263 novas empresas (+37,1%), seguida pelo distrito do Porto com 3.597 empresas (+6,8%). Apenas Bragança (-15,2%) e Horta (-9,1%) apresentam variação negativa.

Os Transportes, Telecomunicações e Hotelaria e Restauração são os três sectores com maior variação positiva na constituição de novas empresas (+114,7%, +47,6% e +37,3%, respectivamente). Destaque ainda para Outros Serviços (+26,7%); Construção e Obras Públicas (+16,1%); Eletricidade, Gás, Água (+10,1%); Comércio por Grosso (+9%); Comércio de Veículos (+7,3%) e Indústria Transformadora (+4,5%). Apenas Comércio a Retalho (-19,4%) e Indústria Extrativa (-12,5%) têm variação negativa.

Relativamente às insolvências, até final de maio de 2022 e face a igual período de 2021, as declarações de insolvência requeridas por terceiros diminuíram 12,9%, com menos 51 pedidos apresentados e um total de 344 ações. As apresentações à insolvência pelas próprias empresas baixaram 3,1% o que se traduz em menos 13 pedidos. Os encerramentos com plano de insolvência diminuíram 23,8% (menos 5 processos).

Em relação à área geográfica, Lisboa e Porto são os distritos com o número de insolvências mais elevado, 542 e 490 respetivamente. Face a 2021, verifica-se um aumento de 8,6% em Lisboa e uma diminuição de 7% no Porto.

“Outros distritos com diminuição nas insolvências são: Portalegre (-47,4%); Angra do Heroísmo (-33,3%); Faro (-28,6%); Braga (-28,3%); Viana do Castelo (-24,3%); Guarda (-22,2%); Madeira (-18,9%); Aveiro (-16,7%); Ponta Delgada (-15,8%); Vila Real (-15%); Castelo Branco (-12,5%); Coimbra (-11,6%); Beja (-10%); Bragança (-10%) e Viseu (-6,3%). Com aumentos surgem apenas três distritos: Setúbal (+39,2%); Santarém (+33,3%) e Évora (+5,9%)”, informa o comunicado.

A área de Eletricidade, Gás e Água lidera o aumento das insolvências ao subir 125%, seguida dos Transportes (+16,5%) e Agricultura, Caça e Pesca (+10,8%). Com decréscimos destacam-se os setores das Telecomunicações (-25%), Construção e Obras Públicas (-12,8%), Hotelaria e Restauração (-10,3%), Comércio por Grosso (-9,9%), Comércio de Veículos (-9,2%) e Indústria Transformadora (-6,6%).

Em maio de 2022, face a igual período do ano anterior, as insolvências baixaram 4,9% com um total de 425, e as constituições aumentaram 10,9%, passando de 3.749 para 4.156 novas empresas.

Recomendadas

Espanha destina mais nove mil milhões até final do ano para responder a subida de preços

O governo espanhol aprovou este sábado um novo plano para responder ao impacto da guerra na Ucrânia na economia e ao aumento dos preços, no valor de nove mil milhões de euros até ao final do ano.

GNR garante segurança do Fórum do BCE com cerca de 140 militares por dia

Um total de aproximadamente 140 militares por dia, com a utilização de diferentes meios da Guarda Nacional Republicana (GNR), vai garantir a segurança do Fórum do Banco Central Europeu (BCE) em Sintra entre domingo e a próxima quinta-feira.

Preço do leite fecha vacarias e distribuição tem que “acordar”, aponta associação

O preço do leite à produção e a subida dos custos está a levar as vacarias a encerrar, podendo haver escassez deste produto, alertou a Aprolep, vincando que, quando a distribuição “acordar”, poderá já ser tarde.
Comentários