Nuno Russo: “desenvolvimento coeso e sustentável é uma prioridade deste Governo”

“A estratégia de Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DBLC), que representa um reforço da abordagem LEADER com praticamente três décadas de funcionamento, é uma das ferramentas essenciais para garantir respostas eficazes aos quatro grandes desafios que enfrentamos”, avançou Nuno Russo.

O secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, participou ontem, 17 de Dezembro, num jantar-conferência, em Tomar, organizado pela Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local, Minha Terra. Um encontro que junta anualmente dezenas técnicos e dirigentes de Grupos de Acção Local representativos de todo o território nacional, onde o membro do governo começou por destacar como “o LEADER tem vindo a revelar-se essencial para o desenvolvimento rural”, destacando ainda que “o desenvolvimento coeso e sustentável é uma prioridade deste governo, prioridade que está presente em cada um dos quatro grandes desafios traçados no nosso programa e que passam por dar resposta às alterações climáticas, pela garantia da transição para a sociedade digital, pelo combate às desigualdades e pela definição de estratégias que respondam às questões demográficas”.

Pode continuar a ler o artigo aqui.

Recomendadas

Oceanos. Presidente da República destaca papel pioneiro de Portugal nas renováveis

“No caso de Portugal, fomos pioneiros em muitos campos, como as renováveis. Quando começámos a substituir outras formas de energia alguns disseram éramos tolos, não éramos, agora queremos antecipar as metas internacionais”.

DGRM vai promover venda de 743 quilos de alabote congelado que foi apreendido

Para participar da venda, cujo valor mínimo é de 2.125 euros, pressupõe-se a prévia aceitação das condições estipuladas e envio de proposta até ao dia 13 de maio de 2022.

Marcelo elogia Cavaco e aponta Conferência dos Oceanos como “oportunidade única”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, elogiou esta segunda-feira o seu antecessor, Aníbal Cavaco Silva, considerando que deu “projeção cimeira ao mar”, e apontou a Conferência dos Oceanos como uma “oportunidade única” para Portugal.
Comentários