O fim das criptomoedas?

A bolha especulativa rebentou, mas isso não significa que todas as criptomoedas desapareçam.

O colapso no preço da bitcoin e demais criptomoedas está a levar a que muitos vaticinem o seu fim. As criptomoedas tornaram-se interessantes pelas suas características distintivas e por se colocarem como alternativa às moedas convencionais.

À medida que captaram atenção, também valorizaram e atraíram fortíssimo interesse especulativo, que resultou em bolhas em praticamente todos os ativos deste universo. Foram criados milhares de projetos, alguns deles fraudulentos, que apenas pretendiam aproveitar esse entusiasmo.

A bolha especulativa rebentou, mas isso não significa que todas as criptomoedas desapareçam. Provavelmente, resistirá uma mão-cheia de projetos independentes mais importantes, associados às blockchain com utilizações em projetos com utilidade.

Sendo realista, é muito improvável que os Estados e os Bancos Centrais permitam que criptomoedas independentes possam ter um papel importante no sistema monetário no futuro, mas o mesmo não acontecerá com as criptomoedas a serem emitidas pelos Bancos Centrais. O dinheiro digital e criptografado será, provavelmente, o dinheiro do futuro. Por outro lado, a tokenização criptografada deverá ser uma tendência.

 

Recomendadas

OPEP+ deverá anunciar corte na produção de petróleo na próxima reunião

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e os seus aliados está a considerar um corte na produção de petróleo de mais de um milhão de barris por dia na quarta-feira, naquela que será a primeira reunião presencial desde o início da pandemia.

Cotação do barril Brent para entrega em novembro baixa para 87,96 dólares

A cotação do barril de petróleo Brent para entrega em novembro terminou esta sexta-feira no mercado de futuros de Londres em baixa de 0,73%, para os 87,96 dólares.

Wall Street encerra sessão com principais índices a perder mais de 1,50%

No momento de fecho o Dow Jones recua 1,71%para 28.725,84 pontos, o S&P 500 cede 1,51% para 3.585,40 pontos e o tecnológico Nasdaq desvaloriza 1,51% para 10.575,62 pontos. 
Comentários