Premium“O Governador”: o livro de que os banqueiros falam mas não vão ler

Se a visão dos políticos sobre o polémico livro com revelações de Carlos Costa parece dividida ao longo de linhas partidárias, entre os banqueiros a tendência tem sido tentar passar ao lado da polémica.

O livro “O Governador”, do jornalista Luís Rosa, foi lançado esta semana mas já está no ‘top’ de vendas de muitas livrarias.

Livro maldito para o poder socialista, tem sido apelidado de fruto da vingança de Carlos Costa, o ex-governador cujos mandatos coincidiram com o período de maior turbulência que o sistema financeiro nacional conheceu nas últimas décadas. Mas se a visão dos políticos sobre o livro parece estar dividida em linhas partidárias – o lançamento contou com as presenças de Luís Montenegro, Passos Coelho e Marques Mendes, entre outras figuras de peso do campo social-democrata -, na banca a tendência tem sido tentar desvalorizar a obra e as suas revelações.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Montepio aumenta para 1,25 mil milhões a emissão de obrigações hipotecárias que vencem em 2026

Na prática, é um reforço da emissão, mas em concreto o banco liderado por Pedro Leitão anuncia a ficha de uma nova emissão de 750 milhões de euros que são fungíveis com os 500 milhões já emitidos, pelo que no final a emissão total sobe para 1.250 milhões de euros.

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.
Comentários