O melhor que a joalharia tem para oferecer

“The Gold Edition” aposta nas coleções em ouro e na vontade que as marcas portuguesas têm de dar a conhecer as novas tendências no sector.

Os brincos em formas geométricas estão na moda. Carregadas de simbologia e com um lugar importante no mundo dos acessórios, as formas geométricas ganham um lugar especial nas orelhas de quem entende que curvas, linhas e ângulos realçam a beleza. As argolas, por exemplo, são um clássico que continuará atual mas agora com novas interpretações. Também a mistura de anéis traz modernidade aos visuais e continuará em alta em 2020. Os colares em conjunto também farão parte das tendências de joias para o próximo ano. Dispostos de maneiras diferentes, todos os colares têm um papel importante numa composição, sendo que peças com pingentes são as mais atraentes, as minimalistas trazem equilíbrio e as peças mais compridas alongam a silhueta. Rompendo com a ideia tradicional de joias neutras, as peças coloridas estarão em alta em 2022. Apesar de serem alegres e divertidas, as joias coloridas não perdem a beleza clássica e podem até ter o glamour da alta joalheria. Bicolores ou até mesmo ultra coloridas, conquistam quem as observa.

O que é nacional é bom
“The Gold Edition” é o mote da segunda edição da pop-up Portuguese Jewellery. Uma iniciativa da Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal (AORP), em parceria com o El Corte Inglés Lisboa, que promove um espaço dedicado, exclusivamente, à joalharia portuguesa. Estará patente até ao final de 2021 e conta com a presença de cinco marcas portuguesas: Arte Nova Jewellery, Fiordy Studio, HLC, Mater Jewellery e Mel Jewel , que apresentam as suas coleções em ouro, mostrando diferentes abordagens criativas ao metal nobre, do design minimalista à exuberância do luxo contemporâneo. Este ano, antecipando a época natalícia, o tema “The Gold Edition” aposta nas coleções em ouro e na vontade que as marcas portuguesas têm de dar a conhecer as novas tendências no sector. Por isso, a segunda edição do espaço Portuguese Jewellery “The Gold Edition” pretende continuar a homenagear as marcas de joias nacionais, apresentando tudo o que de melhor a joalharia portuguesa tem para oferecer.

Para Fátima Santos, Secretária-Geral da AORP, faz todo o sentido enaltecer o ouro nesta edição que antecipa a época natalícia. “O ouro tem um simbolismo especial! Não só porque é eterno e precioso, mas também porque é desde sempre associado aos momentos especiais e de celebração. Este ano, mais do que nunca, aprendemos a valorizar quem nos rodeia e as nossas relações, sejam elas de amor, familiares ou amizade.”, garante. O espaço Portuguese Jewellery localiza-se no Piso 0 do ECI, na área dedicada à joalharia.
Sonhos, viagens e paixões.

As joias da criadora Helena Cardoso são o resultado de sonhos, viagens e paixões. Como todos os artistas, também ela criou seu próprio mundo, a HLC, onde a natureza, a fotografia, a arquitetura, a música ou a mitologia são fontes de inspiração infinita.
As peças refletem subtilmente a personalidade e a sensibilidade da criativa. É essa visão altamente romântica da vida que torna as suas peças tão evocativas. No processo criativo da HLC, a busca por um significado está sempre presente. A marca procura reinventar-se constantemente e, no processo, introduz novos detalhes às suas peças, que fazem toda a diferença – um processo que reflete o processo de evolução e mudança da sua própria vida.

Inspirada na água
A Leitão & Irmão, Joalheiros da Coroa, acaba de lançar a coleção Drop composta por três peças em ouro amarelo com diamantes. Inspirada na água em movimento, como fonte de pureza e renovação, a coleção é uma homenagem ao bem mais precioso da vida, a água. Sob o mote “Uma gota de amor”, as peças em ouro são desenhadas em linhas minimalistas que abraçam os diamantes no interior das suas silhuetas, representando a água, que surge de todas as formas e que nos brinda com vida. De forma apaixonada, oscila entre sensações: num momento é vigorosa, capaz de mover mundos e horizontes; num outro, é delicada, fonte de sonhos e inspiração.
A coleção, inclui, então, o anel Drop, em ouro amarelo com diamante; o fio e pendente Drop em ouro amarelo com diamante e o par de brincos Drop, em ouro amarelo e diamantes. Peças manufaturadas nas centenárias oficinas da Casa Leitão, em Lisboa, onde o ouro se recicla e os diamantes têm a garantia de origem em zonas fora de conflito.

Luna e G Iconic
A Guess apresenta duas novas coleções de relógios e de joalharia. A coleção de joalharia feminina G Iconic, composta por pulseiras, colares e brincos, destaca-se pela malha simples e sofisticada, e pelo memorável G da Guess, que dá um toque especial aos looks e assenta confortavelmente na pele. Para usar peças isoladas ou em conjunto, está disponível em prateado e dourado. A coleção Luna, constituída por três relógios em aço, é feita a pensar nas mulheres discretas que gostam de brilhar. Conjugando um estilo clássico com linhas modernas, e um toque de distinção conferido pela numeração romana e pela janela curva com o dia da semana no topo, Luna está disponível em aço brilhante prateado, dourado ou rose gold, e conta com 36mm de diâmetro.

Uma coleção sem género
Souvenir é o nome da primeira coleção sem género de Juliana Bezerra, uma colaboração com Miguel Marques da Costa, fundador da marca C.R.T.D e da loja House of Curated.
“Em nove anos de marca tenho criado coleções muito femininas. Ainda que tenha alguns homens a comprar peças, as minhas clientes são sobretudo mulheres (ou quem compra para elas) e eu tinha a vontade de falar também com o público masculino. Já conhecia o Miguel, identificava-me com a estética dele, gostava da leveza dele – era o que eu procurava. A minha ideia foi convidá-lo para esta colaboração para criarmos juntos uma linguagem sem género, uma coleção para todos”, diz Juliana Bezerra. “Começámos a trabalhar nesta coleção no início do verão passado. Reunimos inspirações de várias viagens que fizemos, de lugares que são especiais por diferentes razões – Ibiza, Rio de Janeiro, Quénia”, acrescenta Miguel Marques da Costa.
Nesta coleção descobrimos 33 pendentes (ou amuletos) que podem ser colocados separados ou em conjuntos em quatro malhas diferentes. Todas as peças estão disponíveis em prata e prata dourada, e algumas em prata oxidada – no total são 86 distintas que podem concretizar centenas de possibilidades. “Todas as peças têm um significado: o macaco é uma referência a uma viagem à Tailândia; a libra vem de Inglaterra mas tem uma ligação ao Quénia (isto porque a Rainha Isabel II estava no Quénia quando soube que seria coroada); há as medalhas que dizem ‘I love Ibiza’ e ‘I love Rio’; o copo de vinho como símbolo de festa; a ametista vem do Brazil; a concha faz alusão ao oceano e a tesoura e o alicate são pistas para o universo masculino que é agora explorado nesta coleção”, explica Juliana Bezerra. “As pessoas que as escolherem vão atribuir os seus próprios significados. Também temos números, um anel, um ponto de interrogação. É uma coleção de amuletos”, remata a joalheira.

Natureza mágica
A TOUSsugere para esta quadra a sua coleção Magic Nature.
Peças com formas orgânicas em prata e vermeil de prata que se combinam, misturam e se fundem. Uma coleção inspirada na forma ondulante das ondas e no movimento das marés. Superfícies de cetim, joias cheias de contrastes. Frio e quente. Dia e noite. Fogo e água. Joias cheias de significado e simbolismo, energia e boas vibrações. O sol, a lua e as estrelas lembram-nos da magia e da força que se escondem na natureza, que podemos aproveitar para criar projetos que transmitem energia positiva.

O brilho do amor
Perfeitamente imperfeitas, estrelas assimetricamente desenhadas ganham vida numa linha de joias em prata 925 que promete trazer ainda mais luz à época natalícia. Numa coleção criada pela Pandora para quem não deixa de acreditar na força dos sonhos, os brincos, colar e pulseira Pandora Assymetric Star inspiram-se no poder celestial e deixam-se cobrir por luminosas zircónias que irão brilhar seja qual for a ocasião. O anel Pandora Band of Assymetric Stars destaca-se pelas delicadas linhas geométricas e minuciosos detalhes recortados, que se unem numa peça única.

Recomendadas

Exposição no Museu da Marinha celebra a amizade entre Alberto I do Mónaco e Dom Carlos I

No âmbito das comemorações do centenário do desaparecimento do Príncipe Alberto I do Mónaco, o Museu de Marinha de Lisboa irá acolher uma exposição organizada pelo Comité Albert Ier – 2022. Estará patente ao público a partir de dia 15. A inauguração, na véspera, conta com a presença do atual Príncipe do Mónaco, Alberto II.

“Trair e Coçar é só começar” vai ter dois ensaios solidários

O público português tem a oportunidade de assistir aos últimos ensaios antes da grande estreia e apoiar, assim, duas associações de solidariedade.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.
Comentários