O que se passa no BES Angola é um caso de polícia

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, considerou hoje que o que se passa no BES Angola configura “um caso de polícia” e lamentou que, “ao contrário de em Portugal, em Angola fazem-se perguntas mas não há resposta”. No final de um discurso em Lisboa no ‘International Club de Portugal’, já na fase de perguntas e […]

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, considerou hoje que o que se passa no BES Angola configura “um caso de polícia” e lamentou que, “ao contrário de em Portugal, em Angola fazem-se perguntas mas não há resposta”.

No final de um discurso em Lisboa no ‘International Club de Portugal’, já na fase de perguntas e respostas, o presidente da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) admitiu ter sido “tentado a colocar o BESA no discurso”, mas explicou que “como há uma evolução todos os dias”, achou ser “um terreno escorregadio que não devia mencionar”.

Há várias questões, disse, “que configuram inconstitucionalidades e uma atitude e comportamento não transparente” das autoridades, disse o presidente da UNITA, respondendo a uma questão do deputado do CDS-PP José Ribeiro e Castro, que integra a comissão de inquérito ao que se passou na gestão do grupo e do banco Espírito Santo.

O Banco Espírito Santo Angola (BESA) vai passar a assumir a denominação de Banco Económico SA e entre os novos acionistas encontram-se o grupo público angolano Sonangol e o Novo Banco português, informou na quarta-feira o Banco Nacional de Angola.

As alterações foram decididas durante uma assembleia-geral extraordinária de acionistas, realizada em Luanda, em cumprimento das determinações do banco central angolano, que assim vai cessar a intervenção no BESA.

Na mesma informação, o Banco Nacional de Angola (BNA) esclarece que “se confirmou a subscrição do capital social”, conforme o próprio banco central tinha deliberado, há uma semana, no âmbito das medidas de saneamento e da intervenção direta no BESA.

Embora sem revelar o peso de cada participação, o BNA informa que “sob aprovação prévia do regulador”, a assembleia-geral decidiu pela “continuidade do acionista Geni, S.A.”, que anteriormente detinha uma participação de 18,99%.

 

OJE/Lusa

Recomendadas

Ucrânia: Banco Mundial concede mais 540 milhões de euros a Kiev

O Banco Mundial anunciou que irá conceder um apoio adicional no valor de 530 milhões de dólares (540,6 milhões de euros) para permitir à Ucrânia “responder às necessidades urgentes causadas pela invasão russa”.

Ucrânia: Biden diz que aliados da NATO não serão “intimidados” por Putin

O Presidente norte-americano, Joe Biden, afirmou hoje que os Estados Unidos e seus aliados não se deixarão “intimidar” pelo seu homólogo russo Vladimir Putin, e prometeu que a NATO defenderá “cada centímetro” do seu território.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.