PremiumO que vai a CPI ao Novo Banco escrutinar em 120 dias

Partidos ainda estão a trabalhar nas listas de documentos a que querem ter acesso, mas o Bloco de Esquerda já definiu vasto leque.

A resolução do Banco Espírito Santo (BES) em 2014 e a venda do Novo Banco ao Lone Star continuam envoltas em polémica. Os deputados não ficaram satisfeitos com os esclarecimentos sobre o caminho traçado pela instituição liderada por António Ramalho e avançaram com a constituição de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, que tomou posse na semana passada.

Os 17 deputados efetivos da CPI têm até ao dia 28 de dezembro para apresentar a lista de documentos a que pretendem ter acesso e de personalidades que querem inquirir. Ao que o Jornal Económico apurou, a maioria dos partidos ainda estão a trabalhar nas listas dos dados a que querem aceder e dos nomes que querem ouvir.

O PAN só prevê ter a informação definida na próxima semana, enquanto o Iniciativa Liberal apontou para dia 27 de dezembro.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

A parceria que privilegia a economia social e as suas organizações ganha mais três anos

Daniel Traça, Dean da Nova SBE, e José Pena do Amaral, Consultor da Comissão Executiva e Membro da Comissão de Responsabilidade Social do BPI, explicam ao JE a originalidade da parceria Iniciativa para a Equidade Social, o que envolve e o que pretende alcançar. A parceria junta a Fundação “la Caixa”, o BPI e a Nova SBE.

Fundação ”la Caixa”, BPI e NOVA SBE renovam parceria de 2,2 milhões

Iniciativa para a Equidade Social vai prolongar-se por mais três anos, até 2024, segundo acordo assinado esta tarde na Nova SBE, em Carcavelos. A parceria tem como objetivo impulsionar o sector da economia social em Portugal, através de projetos de investigação e capacitação desenvolvidos por equipas académicas especializadas.

Bancários reformados avançam com “manif” para 6 de outubro e pedem fiscalização da constitucionalidade a Marcelo

Os sindicatos da banca filiados na UGT entregaram hoje ao Presidente da República o pedido de fiscalização sucessiva previsto na Constituição relativamente ao pacote legislativo de mitigação da inflação, atendendo à sua previsível inconstitucionalidade por não incluir a totalidade dos bancários reformados.
Comentários