Tarifa Social de Internet: quanto custa e quem vai ter acesso?

Conheça melhor a tarifa social que visa “visa permitir a utilização mais generalizada” de um recurso cada vez mais imprescindível.

Morris MacMatzen / Getty

A 24 de junho foi aprovada, em Conselho de Ministros, a versão final do decreto-lei que cria a tarifa social de fornecimento de serviços de acesso à internet em banda larga. Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, a tarifa social “visa permitir a utilização mais generalizada deste recurso e eliminar situações de discriminação no acesso e na utilização de serviços públicos disponíveis online”.

Saiba o que está em causa com esta tarifa, quanto custa e quem poderá ter acesso.

Quando entra em vigor?
A medida entrou em vigor a 1 de janeiro deste ano. No entanto, a primeira data avançada foi 1 de julho, mas a proposta acabou por não avançar.

Qual o preço da tarifa?

A proposta em cima da mesa é a de que a tarifa social de internet tenha um valor de 6,15 euros por mês. As condições finais foram definidas pelo Governo a 29 de novembro para entrarem em vigor a 1 de janeiro deste ano.

Qual o objetivo da tarifa?

Esta tarifa tem como intuito “garantir que a população em geral, independentemente da sua condição social, tenha acesso a um serviço de internet que, pela sua relevância no contexto atual, deve ser configurado como um direito universal e economicamente acessível”.

Quais as famílias que vão ter acesso?

Esta nova tarifa está direcionada para agregados familiares com rendimento anual igual ou inferior a 5808 euros, acrescidos de 50% por cada elemento do agregado familiar que não disponha de qualquer rendimento, incluindo o próprio, até um limite de dez pessoas, bem como os beneficiários da pensão social de velhice.

Qual o limite de tráfego?

A decisão final do Governo ficou situada nos pelos 12 megabits por segundo de velocidade de download, 2 megabits por segundo no upload e de 15 gigabits de limite de tráfego.

E se na zona onde vivo não tiver cobertura?

Se não existir cobertura móvel não será possível aderir, uma vez que o decreto-lei define que o serviço prestado no âmbito da tarifa social de fornecimento de serviços de acesso à internet é disponibilizado através de banda larga fixa ou móvel, sempre que exista infraestrutura instalada.

Já é possível aderir? 

As empresas têm oito dias a contar da entrada em vigor da portaria para comunicar à Anacom os termos em que é assegurada a disponibilização da tarifa e como estes procedimentos ainda estão a decorrer, o melhor é aguardar.

Recomendadas

80% dos que se despediram em 2022 arrependem-se da decisão, aponta estudo

O fenómeno que ficou conhecido como ‘a grande demissão’ resultou num grande arrependimento. 80% dos trabalhadores que largaram os seus empregos no ano passado gostaria de voltar atrás na decisão, revela um estudo da Paychex.

Deputados aprovam definição de limite de isenção para despesas com teletrabalho

Os deputados aprovaram hoje na especialidade uma proposta do PS para que seja definido o valor até ao qual a compensação que as empresas têm de pagar pelas despesas adicionais com teletrabalho ficam isentas de imposto.

Saiba aqui por que é importante sensibilizar os jovens para gerir o dinheiro e poupar

No geral, as famílias portuguesas ainda poupam muito pouco e é necessário inverter esta tendência começando precisamente pelos mais novos. É importante que os jovens aprendam a poupar, a fazer escolhas no presente para que possam pensar num objetivo no futuro.
Comentários