O Rumo da Alimentação Sustentável em Portugal

Corresponder aos atuais desafios agroalimentares, num contexto global de mudança ambiental e social, exige abordagens inovadoras relativamente à produção alimentar, processos, distribuição e acesso, o que implica maior inovação no setor em alinhamento com as políticas públicas.

A aposta na Inovação e no desenvolvimento tecnológico para conquistar massa crítica e ganhar competitividade, nomeadamente em setores que envolvem diretamente a produção de hortícolas, frutas, vinhos, azeite e em setores que envolvem a distribuição, não diz apenas respeito ao reforço de posicionamento da indústria agroalimentar na economia nacional, mas à necessidade de corresponder às novas expectativas dos consumidores que passam pelo acesso a alimentos desenhados à sua medida, a novos parâmetros de qualidade, de diferenciação e de segurança, não esquecendo o contexto global da sustentabilidade, das alterações climáticas e da alimentação global.

Este foi o mote da Conferência “Alimentação Sustentável” organizada pelo Food & Nutrition Awards em parceria com o LIDL, no decorrer da Feira Nacional da Agricultura, que decorreu em Santarém.

António Duarte, Coordenador Executivo da Associação Geoparque apresentou o “Geofood”, um projeto que tem como missão integrar a alimentação e o território, o turismo e a saúde, a sustentabilidade e o sabor. Desenvolvido em parceria entre o Município de Arouca e o Arouca Geoparque Mundial da Unesco, e acreditando que a alimentação está intimamente ligada ao território, que resulta e adapta-se deste e a este, numa relação simbiótica que tem o poder de promover estilos de vida saudáveis e sustentáveis, com sabor e identidade, cultura e criatividade, o “Geofood” tem vindo a crescer e a aumentar a sua rede de parceiros e influência.

Os produtos nacionais estiveram em destaque com a participação de Gonçalo Andrade, Presidente Executivo da Portugal Fresh, que destacou o trabalho que tem vindo a ser realizado na promoção da qualidade e unicidade “do que é português”, a valorização da “origem Portugal” já reconhecida internacionalmente.

“Práticas para a construção de uma alimentação sustentável” motivou uma conversa entre David Gouveia, (GPP – Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral), Francisco Goiana da Silva, (Ministério da Saúde), Jorge Soares, (Associação de Produtores da Maçã de Alcobaça) e Vanessa Romeu (Lidl Portugal) onde ganhou destaque a importância de que a resposta a estes desafios exige inovação e cooperação entre os líderes do setor – produção, retalho alimentar e indústria – e as entidades governativas.

No cerne da questão está o consumidor, e a sua capacitação é fundamental para que possa fazer escolhas conscientes, mais sustentáveis e saudáveis. E contribuir para que isto seja possível é uma tarefa de todos.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com o FNA.

Recomendadas

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.

Cáritas já recebe pedidos de quem não consegue pagar empréstimo da casa

“O pânico foi imediato. O receio das pessoas, a angústia com que se aproximavam de nós a dizer ‘ai, se eu perco a minha casa’. É que nós tivemos uma crise em que houve muita gente a perder a casa; é recente ainda, está na memória das pessoas – 2008”, afirmou Rita Valadas.

Expectativas de exportação na Alemanha aumentam em novembro, diz Ifo

Depois de uma queda no mês anterior, a indústria automóvel volta a ter expectativa de crescimento nas exportações.
Comentários