O “wannabe” da Praça do Município

E, agora, passado que foi esse vergonhoso período político da nossa história pós 25 de Abril, temos um “wannabe” que quer ser ocupar a Quinta Vigia, mas que desrespeita a casa-mãe da nossa democracia. Isso mesmo, refiro-me ao actual presidente da Câmara Municipal do Funchal e à sua recusa, ainda por cima mal fundamentada, em ir ao parlamento regional explicar aos deputados da Comissão Regional de Saúde e Assuntos Sociais, eleitos tão legitimamente quanto ele e que são representantes de todo o nosso arquipélago, o que se passou no arraial do Monte, com a queda da árvore que matou 13 pessoas. Ou seja: os deputados da Madeira e Porto Santo valem pouco.

São conceitos antigos mas ainda hoje muito usados e não apenas na Literatura/História das Ideias e Cultura. Também na política. Falo-vos da “mimésis”, em grego, ou da imitatio, em Latim. E se é bem verdade que aprendemos copiando/imitando, basta lembrar as crianças que fomos, também não é menos verdade que este modo de aprendizagem prossegue pela vida adulta fora mas que um homem de verdade, os tais de quem sempre se diz serem com H (agá) grande, não copiam/imitam o pior que os outros têm e fazem; é que se o fizerem passam a ser bem piores do que eram, passam de maiúsculos a minúsculos, por mais que julguem o contrário.

Dito isto, vamos ao que interessa. Tivemos um presidente do Governo Regional que durante 37 anos ignorou o mais importante órgão de governo próprio da nossa Autonomia. A Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira foi, nas mãos de Alberto João Jardim, uma espécie de cabaré burlesco, que só se dignava visitar aquando da apresentação dos Orçamentos Regionais e pouco mais.

E, agora, passado que foi esse vergonhoso período político da nossa história pós 25 de Abril, temos um “wannabe” que quer ser ocupar a Quinta Vigia, mas que desrespeita a casa-mãe da nossa democracia. Isso mesmo, refiro-me ao actual presidente da Câmara Municipal do Funchal e à sua recusa, ainda por cima mal fundamentada, em ir ao parlamento regional explicar aos deputados da Comissão Regional de Saúde e Assuntos Sociais, eleitos tão legitimamente quanto ele e que são representantes de todo o nosso arquipélago, o que se passou no arraial do Monte, com a queda da árvore que matou 13 pessoas. Ou seja: os deputados da Madeira e Porto Santo valem pouco.

Não estou surpreendido. Nem sequer estou indignado, confesso. Por uma razão muito simples:  estou há muito vacinado e espero tudo e mais alguma coisa de megalómanos e mitómanos e tenho a paciência do tempo. Sou, por natureza, família, educação e personalidade, estoico. E irei, como sempre, aguardar, serenamente, o que aí vem e ,se precisar de conforto, mergulharei, mais uma vez, em Séneca, lendo, não plagiando, e sorrindo neste caminho de margens, que é a vida dos que são realmente kalos kai agathos (καλός καi αγαθός), belos e virtuosos de acordo com os ideais gregos.

 

Recomendadas

Madeira: ACIF participa na quinta reunião transnacional do projeto BLUE-TEC

O projeto visa promover o crescimento inteligente do turismo náutico e costeiro da Macaronésia.

PSD/Açores disponível para novo modelo de financiamento dos bombeiros

O deputado regional social-democrata Luís Soares considerou necessário “saber como funcionam os mecanismos de acesso aos fundos comunitários, mantendo uma porta direta pelos bombeiros, em vez das candidaturas serem elegíveis somente através das câmaras municipais”.

Madeira: Vacinação contra a Covid-19 passa a ser sazonal e decorre em simultâneo com a vacinação contra a gripe

Estas duas vacinas sazonais, contra a gripe e contra a Covid-19, podem ser administradas no mesmo momento, “sendo consensual que a vacinação é segura e igualmente eficaz”, indica a  Direção Regional de Saúde.
Comentários