Óbito/Gorbachev: Viktor Orbán em Moscovo para homenagem o último líder da URSS

O primeiro-ministro da Hungria vai “prestar homenagem ao falecido Mikhail Gorbachev” e estará acompanhado por uma delegação húngara, disse o secretário de Estado para a comunicação internacional na sua conta no Twitter, um dia após o anúncio pela gigante russa Gazprom da paragem do funcionamento do gasoduto Nord Stream, vital para abastecer o gás na Europa.

Hungarian Prime Minister Viktor Orban speaks as he arrives for an EU summit in Brussels, Belgium December 10, 2020. John Thys/Pool via REUTERS

O primeiro-ministro nacionalista húngaro, Viktor Orbán, que está isolado na União Europeia ao impulsionar o comércio de gás com a Rússia, partiu este sábado para Moscovo para participar no funeral do último líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev.

Viktor Orbán vai “prestar homenagem ao falecido Mikhail Gorbachev” e estará acompanhado por uma delegação húngara, disse o secretário de Estado para a comunicação internacional na sua conta no Twitter, um dia após o anúncio pela gigante russa Gazprom da paragem do funcionamento do gasoduto Nord Stream, vital para abastecer o gás na Europa.

Uma das figuras políticas mais influentes do século XX, Gorbachev morreu na terça-feira aos 91 anos, quando, segundo o seu gabinete, estava em tratamento no hospital.

O antigo secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética (PCUS), entre 1985 e 1991, promoveu uma série de reformas que desencadearam o colapso do Estado soviético autoritário, a libertação das nações do Leste Europeu do domínio russo e o fim de décadas de confronto nuclear russo com os Estados Unidos e países ocidentais.

O legado de Gorbachev é controverso na Rússia, sendo-lhe atribuído por setores liberais o reforço das liberdades civis, nomeadamente a de expressão fortemente constrangida durante a ditadura comunista, mas ao mesmo tempo, por alguns líderes nacionalistas, decisões que levaram ao fim do império soviético.

Recomendadas

Agência de Energia e Irão retomam contacto em Viena

O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, reuniu-se com o chefe do programa nuclear iraniano, Mohammad Eslami, para retomar os contactos e esclarecimentos.

São Tomé: CPLP diz que comissão eleitoral é soberana na divulgação de resultados

O chefe da missão de observação eleitoral da CPLP, o embaixador Rafael Vidal, disse que a lei são-tomense não obriga à divulgação dos resultados provisórios antes da contagem nos distritos.

Parlamento eslovaco aprova adesão de Finlândia e Suécia à NATO

O parlamento eslovaco aprovou hoje a entrada da Suécia e da Finlândia na NATO, indicou o ministro dos Negócios Estrangeiros e Europeus, Ratislav Kacer, em mensagem no Twitter.
Comentários