Obras de Caravaggio e Goya contam a “História Partilhada” de Portugal e Espanha

Cerca de centena e meia de peças provenientes dos palácios reais de Espanha dão a conhecer as relações entre as cortes espanhola e portuguesa, durante os séculos o XV e XIX, na Gulbenkian. A exposição intitula-se “A História Partilhada. Tesouros dos Palácios Reais de Espanha” e decorre até 25 de janeiro nas galerias de exposições […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Cerca de centena e meia de peças provenientes dos palácios reais de Espanha dão a conhecer as relações entre as cortes espanhola e portuguesa, durante os séculos o XV e XIX, na Gulbenkian. A exposição intitula-se “A História Partilhada. Tesouros dos Palácios Reais de Espanha” e decorre até 25 de janeiro nas galerias de exposições temporárias do Museu Calouste Gulbenkian. Através de um núcleo de 144 peças – designadamente livros, pinturas, armaduras, ourivesaria, esculturas, têxteis e mobiliário – a mostra revela cerca de três séculos e meio de história entre as monarquias de Portugal e Espanha.

Data: Até 25 de janeiro

Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta quinta-feira

O Banco de Portugal divulga esta quinta-feira o Boletim Económico de outubro, A expectativa quanto a estas previsões é significante, especialmente depois da pressão do Presidente da República para que o Governo divulgasse as projeções macroeconómicas antes de anunciar o Orçamento do Estado para 2023.

FMI estima que a espiral de salários-preços ainda é um “risco limitado”

A ausência de uma espiral preços-salários não deve levar os líderes a não agirem para combater a inflação persistente, considera ainda o Fundo Monetário Internacional.

Compra de carros de luxo pela TAP “é um problema de bom senso”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu hoje Marcelo Rebelo de Sousa.