Obras na ponte 25 de Abril arrancam na próxima quarta-feira

Empreitada foi adjudicada a 20 de setembro passado por um valor de 12,6 milhões de euros ao consórcio composto pela Somague, SMM e STAP.

A empreitada para a conservação da ponte 25 de Abril vai ser atribuída pela IP – Infraestruturas de portugal na próxima quarta-feira, dia 19 de dezembro, estando previsto que as obras arranquem nesse mesmo dia.

A cerimónia de consignação desta empreitada contará com a presença de Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

A empreitada foi adjudicada a 20 de setembro passado por um valor de 12,6 milhões de euros ao consórcio composto pela Somague, SMM – Sociedade de Montagens Metalomecânicas e STAP – Reparação, Consolidação e Modificação de Estruturas.

“O momento da consignação representa o início formal da obra que, tal como estabelecido na programação e divulgado publicamente, tem o seu arranque em 2018 e conclusão prevista para o final do ano de 2020”, sublinha um comunicado da IP.

De acordo com esse documento, “a empreitada tem por objetivo a realização de um conjunto de trabalhos de manutenção tidos como necessários, e que foram identificados no âmbito das atividades regulares de inspeção e de monitorização do comportamento estrutural da Ponte 25 de Abril”.

Recomendadas

Lagarde põe os criptoativos na lista dos riscos para a estabilidade financeira

A presidente do Banco Central Europeu, alertou esta quinta-feira que “embora o impacto de tais episódios tenha sido contido até agora, o risco sistémico poderia facilmente surgir de crescentes interligações entre o ecossistema criptográfico e o sistema financeiro tradicional”. Deixou também alertas aos bancos.

Disney lança serviço de subscrição com publicidade a mais de 100 marcas

Os assinantes da Disney+ nos Estados Unidos têm, a partir desta quinta-feira, uma opção de televisão com anúncios entre os filmes e as séries.

Aeroporto de Lisboa. “Senhores políticos, simplesmente deixem que as obras avancem”, pede líder da APAVT

Pedro Costa Pereira, presidente da Associação Portuguesa da Agências de Viagens e Turismo deixou o apelo na abertura do congresso. “Não evitarão a vergonha, que se colou a todos os que contribuíram para a atual situação, mas pelo menos mitigarão as consequências deste processo tão trágico como ridículo”, afirmou.
Comentários