OE 2020: PSD diz que reunião com Governo foi “muito curta” e prefere aguardar por “medidas concretas”

À saída da reunião com o Governo, a delegação social-democrata afirmou que a reunião foi “muito curta” e que o partido vai aguardar por “medidas mais concretas” para poder avaliar o documento e tomar uma decisão sobre o sentido de voto.

Mário Cruz/Lusa

O Partido Social Democrata (PSD) vai aguardar a entrega do Orçamento do Estado para 2020 (OE 2020) na Assembleia da República para se pronunciar sobre o documento. À saída da reunião com o Governo, a delegação social-democrata afirmou que a reunião foi “muito curta” e que o partido vai aguardar por “medidas mais concretas” para poder avaliar o documento e tomar uma decisão sobre o sentido de voto.

“Foi uma reunião muito curta. Deu para apresentar o quadro macroeconómico e para perceber que só no dia 16 é que teremos as medidas do Governo e nessa altura veremos o que o Governo tem para apresentar para 2020. Nessa altura avaliaremos o que está em causa e qual será a nossa posição. Não é possível dizer muito mais neste momento”, afirmou o vice-presidente da bancada do PSD Afonso Oliveira, após conhecer as linhas gerais da proposta do OE 2020, que incluem o cenário macroeconómico e as respetivas previsões.

Tal como o Jornal Económico, avançou os três deputados madeirenses do PSD podem vir a viabilizar o OE 2020, caso o Governo de António Costa se comprometa com um conjunto de reivindicações da ilha: financiamento para o Hospital Central da Madeira, a ligação por ferry entre Lisboa e o Funchal durante todo o ano, passagens aéreas para o continente a 86 euros para residentes e e 65 euros para estudantes e taxas de juro idênticas às dos empréstimos do Governo, contraídos durante o período da troika.

Questionado sobre isso, Afonso Oliveira afirmou que “não houve qualquer discusão” sobre esta matéria e recusou-se a prestar mais esclarecimentos.

O caderno de encargos apresentado por estes três deputados (Mário Sérgio Marques, Sara Madruga da Costa e Paulo Neves) ronda os 200 milhões de euros.

O PSD foi o primeiro dos sete partidos com representação parlamentar a conhecer as linhas gerais da proposta do OE 2020, apresentadas pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, e o secretário de Estado para os Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro. O único partido que não vai estar presente na apresentação da proposta do OE 2020 é o Livre, depois de ter alegado impedimento de agenda.

Relacionadas

BE diz que linhas gerais do OE 2020 ficam “aquém das necessidades do país”

A delegação bloquista que esteve reunida com o Governo diz que não chegou a qualquer consenso com o Governo e que a continuidade da reposição de rendimentos, a garantia de direitos e a diminuição dos impostos sobre bens de primeira necessidade devem ser prioridades.
Recomendadas

PSD critica Governo por “má gestão e execução” de fundos europeus

Catarina Rocha Ferreira falava no debate parlamentar sobre o Estado da União, esta quarta-feira, criticando ainda a conduta do Governo face às PME quando este “só ajudou 21%” destas empresas e é “dos países que menos gastou” nestes apoios.

Governo diz ter “bons sinais” da União Europeia face a prioridades para a economia portuguesa

O secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, elogiou o pacote de medidas estabelecidas ao nível europeu no âmbito da energia, nomeadamente a solução, a longo prazo, em apostar no hidrogénio verde com a criação de um banco de hidrogénio, orçamentado em três mil milhões de euros.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários