OE2015 com luz verde na generalidade

A proposta de Orçamento do Estado para 2015 foi hoje aprovada na generalidade pela maioria PSD/CDS-PP, com os votos contra de toda a oposição e a abstenção do deputado democrata-cristão eleito pela Madeira Rui Barreto. PS, PCP, BE e PEV votaram contra a proposta orçamental. No final da votação, o deputado do PSD Guilherme Silva […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A proposta de Orçamento do Estado para 2015 foi hoje aprovada na generalidade pela maioria PSD/CDS-PP, com os votos contra de toda a oposição e a abstenção do deputado democrata-cristão eleito pela Madeira Rui Barreto.

PS, PCP, BE e PEV votaram contra a proposta orçamental.

No final da votação, o deputado do PSD Guilherme Silva anunciou que os parlamentares sociais-democratas eleitos pelo círculo da Madeira irão apresentar uma declaração de voto.

O deputado do CDS-PP Rui Barreto, que já tinha anunciado a intenção de se abster, anunciou também a entrega de uma declaração de voto.

A proposta de lei que estabelece as Grandes Opções do Plano para 2015 foi aprovada sem abstenções, com os votos favoráveis da maioria e contra do PS, PCP, BE e PEV, entre 224 deputados presentes.

No final, os deputados do PSD e do CDS-PP aplaudiram o Governo.

A proposta aprovada seguirá para debate nas comissões parlamentares de especialidade, com o debate em plenário marcado para os dias 20, 21 e 24 de novembro. Dia 25 terá lugar o encerramento da discussão na especialidade e a votação final global do documento.

O OE2015 prevê atingir um défice de 2,7% do PIB no final do ano. A estimativa para a dívida pública aponta para os 123,7%. Quanto à evolução do cenário macroeconómico, o Executivo antecipa um crescimento económico de 1,5% e uma taxa de desemprego de 13,4%.

 

OJE/Lusa

Recomendadas

5 de outubro: Montenegro acusa Governo de degradar ambiente político com casos

Luís Montenegro falava aos jornalistas no final da cerimónia oficial das comemorações do 112.º aniversário da implantação da República em Portugal, na qual o Presidente da República falou dos governos que “tendem quase sempre a ver-se como eternos” e das oposições “quase sempre a exasperarem-se pela espera”, afirmando em seguida que “nada é eterno” e que “a democracia é por natureza o domínio da alternativa, própria ou alheia”.

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Itália. Governo Meloni deverá misturar técnicos e fiéis da líder

O próximo Governo de Itália, chefiado por Giorgia Meloni, deverá combinar figuras de renome técnico, em pastas cruciais para as relações com Bruxelas, e fiéis da futura primeira-ministra, segundo analistas ouvidos pela Lusa.