OE2020. Desbloqueada a contratação de mil trabalhadores qualificados

Os prémios de desempenho vão regressar com pagamento na totalidade.

O OE2020 desbloqueia a contratação de 1.000 jovens técnicos superiores. O concurso, lançado em abril, encontra-se neste momento paralisado, por falta de meios financeiros.

“O Governo conclui o processo de constituição da bolsa de recrutamento de 1.000 trabalhadores qualificados com formação superior para rejuvenescer e capacitar a Administração Pública, de modo a reforçar os centros de competências, as áreas estratégicas, designadamente, nas funções de planeamento e de formulação de políticas públicas e da transformação digital da Administração”, lê-se no documento entregue esta segunda-feira, 16 de dezembro, na Assembleia da República.

O Orçamento para o próximo ano permite igualmente o regresso dos prémios de desempenho pagos a 100%, mas somente mediante disponibilidade orçamental e para quem for avaliado.

“Em 2020 podem ser atribuídos prémios de desempenho até ao montante legalmente estabelecido e o equivalente a até uma remuneração base mensal do trabalhador, dentro da dotação inicial aprovada para o efeito”, lê-se na proposta do Orçamento do Estado para 2020, entregue na Assembleia da República esta segunda-feira, 16 de dezembro.

Recomendadas

OE2023: PAN critica “rumo de desvalorização salarial” da função pública

A porta-voz do PAN criticou hoje a proposta de aumentos salariais para a função pública, apontando um “rumo de desvalorização salarial” e alertando que os funcionários públicos “viverão com menos recursos” no próximo ano.

OE2023: Iniciativa Liberal vai insistir no desagravamento de vários impostos

O líder da Iniciativa Liberal (IL) disse hoje, em Coimbra, que o partido vai apresentar cerca de uma dúzia de propostas de alteração ao Orçamento de Estado para 2023, que visam o desagravamento de vários impostos.

OE2023: “É insano pretender que a política orçamental seja a salvadora de todos”, diz coordenador da UTAO

Em entrevista à Lusa, Rui Nuno Baleiras, coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), defende que a política orçamental não pode anular o efeito da política monetária, sob pena de agravar as condições futuras.
Comentários