Taxa take away: Quem pedir comida ao domicílio vai pagar valor extra pelas embalagens

As embalagens de uso único usadas nos serviços de take away passam a ser pagas pelos clientes.

O Governo quer criar uma taxa sobre as embalagens de entrega de comida ao domicílio, segundo a proposta do Orçamento do Estado 2020. Quem pedir comida ao domicílio vai ter de pagar a taxa sobre as embalagens.

“Fica o Governo autorizado a criar uma contribuição que incida sobre as embalagens de uso único, para efeitos de promoção de uma economia circular”, pode-se ler no documento.

Desta forma, o Executivo pretende “sujeitar a tributação as embalagens de uso único adquiridas em refeições prontas a consumir, nos regimes de pronto a comer e levar ou com entrega ao domicílio”.

Esta proposta de OE2020 quer “definir o sujeito passivo como o agente económico que providencia a produção ou importação das embalagens utilizadas na prestação de serviço prevista na alínea anterior, com sede ou estabelecimento estável no território de Portugal continental, bem como os adquirentes a fornecedores, das mesmas embalagens, com sede ou estabelecimento estável noutros Estados-Membros da União Europeia ou nas Regiões Autónomas”.

Assim, quem vai pagar é o cliente final. “Repercutir o encargo económico da contribuição sobre o adquirente final, devendo, para o efeito, os agentes económicos inseridos na cadeia comercial inseri-la a título de preço, o qual é obrigatoriamente discriminado na fatura”.

Os restaurantes devem fixar a taxa que “pode variar em função das características da embalagem”. Já as embalagens que incorporem material reciclado, devem ser discriminadas positivamente.

O documento determina que as “receitas da contribuição são consignadas total ou parcialmente ao Fundo Ambiental para aplicação preferencial em medidas no âmbito da economia circular”.

 

OE2020: Governo autorizado a taxar plásticos de utilização única

Relacionadas

OE2020: Imóveis de alojamento local em áreas de contenção irão pagar mais IRS

Ao invés dos atuais 35% tributados nos rendimentos obtidos, a versão preliminar do Orçamento do Estado para 2020 indica um aumento para 50%

OE 2020: Governo avança para redução da taxa sobre empresas de energia

Apesar de manter a CESE sobre empresas como a EDP, Galp e REN, o Governo garante que as energias renováveis vão continuar isentas de pagar esta taxa.

Recibos verdes: Governo vai alterar regime com atividade sazonal

“Em 2020, o Governo legisla no sentido de adequar o regime contributivo dos trabalhadores independentes às atividades com forte componente sazonal e elevada flutuação dos momentos de faturação, designadamente no que respeita às respetivas obrigações declarativas”, lê-se na proposta preliminar do OE 2020.
Recomendadas

Tribunal de Contas não afasta cenário de novas injeções de capital no Novobanco

O juiz conselheiro relator do relatório da auditoria do Tribunal de Contas à gestão do Novobanco, José Quelhas, referiu hoje que não está afastado o cenário de novas injeções de dinheiro público no ex-BES.

Dionísio Pestana pede reforma dos impostos como apoio às empresas

O presidente do Grupo Pestana afirma não precisar de ajudas diretas, perante o cenário de incerteza, mas pede ao Governo que avance com uma reforma nos impostos, apontando para a TSU.

Capgemini Portugal estima que receitas cresçam 16% em 2022 e tem 600 vagas de trabalho por preencher

A consultora tecnológica revelou ainda que está prestes a lançar o quarto laboratório de investigação no país, que será dedicado à cibersegurança da computação quântica e para a qual estão alocados cinco doutorados.
Comentários