OE2022. PSD propõe atualização de 4% nos salários da função pública

O PSD apresentou esta quinta-feira um pacote de propostas de alterações ao Orçamento do Estado onde consta a atualização em 4% dos salários da função pública, correspondendo à taxa de inflação prevista para este ano.

“O PSD propõe uma atualização de 4% que corresponde à inflação prevista pelo Governo no próprio OE, quer para os salários na função pública, quer para os escalões de IRS, quer para o indexante de apoios sociais”, afirmou, em conferência de imprensa na Assembleia da República, o líder da bancada parlamentar social-democrata, Paulo Mota Pinto.

Nesta conferência de imprensa – onde esteve acompanhado pela vice-presidente do grupo parlamentar para a área do Orçamento e Finanças, Paula Cardoso, e pelo coordenador do PSD na Comissão de Orçamento e Finanças, Duarte Pacheco –, Paulo Mota Pinto afirmou que as propostas orçamentais do PSD – “mais de uma centena” – visam “obrigar ou levar o PS a cumprir aquilo que prometeu na campanha eleitoral”.

Afirmando assim que a atualização dos salários em 4% pretende “repor em parte o poder de compra que já foi perdido, e que será perdido neste ano de 2022, por efeito da inflação”, Paulo Mota Pinto acrescentou que é uma proposta “que corresponde ao cumprimento de uma promessa do PS”.

Nesse sentido, o líder parlamentar social-democrata escusou-se a dizer como é que essa medida seria financiada, afirmando que “é o Governo que deve encontrar a contrapartida [orçamental] para essa promessa”.

“Se, até 30 de janeiro, o Governo garantia que ia aumentar os salários mínimos e médio, se, entretanto, o próprio Governo prevê uma inflação de 4%, não se compreende que não cumpra essa promessa, e nós vamos criar as condições para que tenha de o fazer, e acho que ele deve encontrar a compensação (…) porque corresponde a uma promessa do PS”, argumentou.

Recomendadas

Empresários sem literacia digital “ficam pelo caminho”

Formadores em economia digital e marketing digital dzem que os temas que mais aliciam os executivos são inteligência artificial, redes sociais, SEO/websites, blockchain ou faturação eletrónica.

“Ainda não estou a ver o ‘cash’ a desaparecer”

João Baptista Leite revela que a Unicre está de olhos postos no ‘blockchain’ e mostra-se confiante nas suas aplicações práticas. CEO da Unicre diz que já não utiliza dinheiro físico, mas acredita que – por enquanto – ainda se vai manter.

Programas para mulheres que querem evoluir na carreira

A formação é uma ferramenta de emponderamento e, num âmbito mais vasto, contribui para a construção de um ambiente profissional mais igualitário. O JE foi conhecer a oferta das escolas de negócios.
Comentários