OE2023: BE diz que Governo nada faz “perante empobrecimento do país”

Pedro Filipe Soares diz que “não está a perceber a necessidade de respostas que as pessoas têm e está a falhar num momento fundamental à resposta que é essencial nesta crise”.

Mário Cruz/Lusa

O líder da bancada do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, aponta que o Executivo de Costa nada faz perante “o empobrecimento do país” depois de se ter reunido com o Governo para apresentação do cenário macroeconómico.

“Para nós a conclusão é obvia: um Governo que se resigna perante o empobrecimento do país não está a perceber a necessidade de respostas que as pessoas têm e está a falhar num momento fundamental à resposta que é essencial nesta crise que é salvaguardar as famílias e a economia dos efeitos da inflação”, disse aos jornalistas.

O bloquista diz que, durante a reunião, levantou “estas preocupações” que o Governo “já sabia” que o partido tinha, mas que na perspetiva do partido são também “as preocupações do país”. “De quem trabalha porque o empobrecimento, a perda de poder de compra face à inflação é visível quotidianamente da vida das pessoas”, salientou Pedro Filipe Soares.

Quando questionado sobre se o Governo estava a ser otimista, apontou que este é “um Governo que assiste e é participante ativo na perda de poder de compra de todo um país em particular de quem trabalha”.

“É um Governo que está a ser cúmplice com essa realidade e assistimos a isso, sem que o Governo haja sobre os salários, sem que o Governo proteja as pessoas dos aumentos de preços que muitas das vezes não decorrem da conjuntura internacional, mas sim de abusos das empresas, sem que o Governo detenha o controlo de preços em sectores essenciais que ajudam a que a inflação cresça”, afirmou Pedro Filipe Soares.

O bloquista admitiu ainda que apresentou as propostas do partido e que “depois de todas as promessas de diálogo o Partido Socialista disse o que tem decidido contra o poder de compra das famílias”.

Recomendadas

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.

Covid-19: Várias cidades da China relaxam medidas de prevenção epidémica

Várias cidades chinesas estão a abolir algumas medidas de prevenção contra a Covid-19, sinalizando o fim gradual da estratégia ‘zero casos’, que manteve o país isolado durante quase três anos e afetou a economia.
Comentários