Oito empresas portuguesas no index de igualdade de género da Bloomberg

Em análise estiveram cinco aspetos, desde a capacidade de liderança de talentos até às medidas contra o assédio sexual em ambiente profissional.

A “Bloomberg” elaborou uma lista de empresas que promovem a equidade entre os géneros, em que estão presentes oito empresas portuguesas entre 484 companhias de um total de 54 sectores e distribuídas por 45 países e regiões, de acordo com o documento divulgado.

Sob o lema “investir num futuro mais equalitário”, marcam presença no index de 2023 de igualdade de género a Sonae SGPS, NOS, Banco Comercial Português (BCP), EDP – Energias de Portugal, EDP Renováveis, Galp Energia, Jerónimo Martins e a REN – Redes Energéticas Nacionais.

Para a realização deste ranking, a “Bloomberg” levou em consideração cinco aspetos principais. São eles a capacidade de liderança de talentos, o pagamento equitativo e a paridade entre géneros, a cultura inclusiva, as medidas contra o assédio sexual e a perceção que quem está de fora tem da marca em causa.

De referir que as empresas surgem listadas por ordem alfabética, sem qualquer diferenciação qualitativa ou quantitativa entre elas.

Recomendadas

Leroy Merlin quer encerrar negócio na Rússia

A empresa quer que a nova administração salvaguarde os empregos dos 45 mil funcionários.

Sumol+Compal sobe salário de entrada para mil euros com retroativos a janeiro

Retribuição de entrada para 2023 inclui salário, com um mínimo de 800 euros, que aumentou 9,5%, subsídio de refeição e prémio de produtividade.

Activision valoriza acima de 5% com a Microsoft mais próxima de concretizar compra

Os títulos da produtora de videojogos estiveram em alta na sessão desta sexta-feira, depois de o regulador do Reino Unido ter colocado de parte os principais receios sobre o negócio poder reduzir a concorrência existente no mercado, o que resultaria num aumento dos preços.
Comentários