Oito entidades financeiras já têm solução da Novabase para reportar ao Banco de Portugal

Bankinter, EuroBic, Novo Banco, Parvalorem, Wizink, Millennium bcp, Cofidis e Banco CTT escolheram a Symetria, a ferramenta de ‘reporting’ à Central de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal.

Já são oito a instituições financeiras que aderiram à solução da Novabase de reporting regulatório da Novabase. No início desta semana, o Bankinter, o EuroBic, o Novo Banco, a Parvalorem e o Wizink juntaram-se ao Millennium bcp, à Cofidis e ao Banco CTT no conjunto de entidades que escolheram a Symetria, a ferramenta da tecnológica para reportar à Central de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal.

Na opinião do diretor na Novabase, Afonso Mota a ferramenta “adequa-se às necessidades atuais das instituições financeiras, pois permite cumprir os critérios determinados pelo Banco Central Europeu e as obrigações do Banco de Portugal, garantindo o cumprimento das obrigações regulatórias com o mínimo de custos e riscos”.

O Symetria tem ferramentas de análise e gestão de risco e permite controlar o processo de consolidação dos dados que têm de ser reportados à Central de Responsabilidades do regulador e garantir que as instituições financeiras têm acesso à informação das responsabilidades de crédito dos seus clientes.

O mecanismo pretende, nesse sentido, responder às novas exigências da base de dados AnaCredit (Analytical Credit Dataset) e simplificar as obrigações de reporting e compliance.

A Novabase aumentou os lucros em 41,4% para 3,924 milhões de euros no primeiro semestre do ano, face ao período homólogo, e superou as estimativas, apoiada num forte crescimento das receitas no negócio internacional. Os resultados do primeiro semestre confirmam o sucesso da estratégia de internacionalização e estão em linha com os objectivos traçados este ano. O volume de negócios internacional cresceu 15%, representando a Europa cerca de 2/3 da actividade não doméstica”, explicou Luís Salvado, presidente da tecnológica, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Novabase: “O Wizzio vai permitir aos bancos concorrer com as fintech”

Recomendadas

Saídas de capital do Credit Suisse quase estancadas e já se nota regresso de depositantes de elevado património

O banco deverá ter perdido cerca de 10% dos fundos depositados na operação de gestão de ativos, devido a desconfianças dos clientes relativamente à solvabilidade da instituição.

“Falar Direito”. “Renegociação? Medida deveria abranger outro tipo de créditos mais onerosos”

Na última edição do programa da plataforma multimédia JE TV, advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, considerou que o diploma referente à renegociação do crédito à habitação deveria ser mais abrangente, tendo em conta a contração de outros créditos mais onerosos.

Juro médio dos novos depósitos de particulares dispara em outubro para máximo de cinco anos

Segundo os dados divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP), “em outubro o montante de novos depósitos a prazo de particulares foi de 4.726 milhões de euros, remunerados a uma taxa de juro média de 0,24%”.
Comentários