Onde vai ficar a nova refinaria de lítio? “Parece fazer mais sentido” no norte do país, diz Governo (com áudio)

A Galp e a Northvolt esperam ter fechada a localização final da refinaria de 700 milhões até meados de 2023.

O Governo considera que a nova refinaria de lítio em Portugal faz mais sentido no norte do que no sul do país.

“A localização a ser escolhida é, naturalmente, pelos empreendedores. Parece fazer mais sentido a norte do que a sul, uma vez que apesar de também este projeto ter que importar lítio para poder funcionar em pleno, naturalmente que a norte parece mais bem localizada do que a sul, e quanto mais no interior do país, melhor. Mas essa é uma questão a que os investidores saberão responder”, disse o ministro do Ambiente esta terça-feira, 14 de dezembro, à margem da cerimónia da apresentação da refinaria de lítio que a Galp e os suecos da Northvolt querem construir em Portugal.

João Pedro Matos Fernandes respondia a uma pergunta dos jornalistas sobre se faria mais sentido instalar a refinaria de lítio no concelho de Matosinhos (distrito do Porto), no local da antiga refinaria da Galp em Leça da Palmeira, ou na refinaria petrolífera de Sines, distrito de Setúbal.

A localização no norte do país justifica-se porque a refinaria ficaria assim mais próxima das futuras explorações de lítio e da mina do Barroso, já em exploração, mas que a empresa mineira Savannah pretende ampliar.

Por parte das empresas, segue-se agora um momento de prospeção de local, onde vão ser pesados vários fatores para escolher o local. “Esperamos no prazo de 12 a 18 meses ter todas as informações reunidas para escolher o local final “, disse o co-fundador e presidente executivo da Northvolt no evento de apresentação deste projeto, batizado com o nome de ‘Aurora’.

Paolo Cerruti apontou que no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) é apontada a localização de Sines, mas que este local ainda não está fechado, pois as empresas fizeram isto porque tinham que colocar um local na apresentação da candidatura.

Galp e suecos anunciam investimento de 700 milhões em Portugal

A Galp e os suecos da Northvolt anunciaram hoje um investimento de 700 milhões de euros numa refinaria de lítio em Portugal.

Esta central vai ter uma capacidade de produção anual de até 35 mil toneladas de hidróxido de lítio, usado na produção de baterias de ião de lítio para carros elétricos.

A refinaria deverá entrar em produção em 2026, com a previsão de criação de 1.500 postos de trabalho diretos e indiretos. No entanto, a empresa portuguesa destaca que a “decisão final de investimento ainda não ocorreu, mas o consórcio prevê que as operações iniciem até ao final de 2025 e que as operações comerciais tenham início em 2026”.

Esta parceria (50% para cada empresa) visa o “desenvolvimento da maior e mais sustentável fábrica de conversão de lítio da Europa, que se situará em Portugal”, segundo a Galp. O projeto tem o nome ‘Aurora’, inspirado na aurora boreal.

Esta refinaria vai ter a capacidade para produzir hidróxido de lítio suficiente para a produção de 50 GWh de baterias por ano, suficiente para equipar 700 mil veículos elétricos.

No âmbito deste acordo, a Northvolt garante que vai consumir até 50% da capacidade anual desta refinaria para usar no fabrico das suas baterias.

 

 

Relacionadas

Lítio. Galp e suecos anunciam investimento de 700 milhões em Portugal (com áudio)

O objetivo desta refinaria é converter lítio para ser usado na produção de baterias para carros elétricos. A empresa prevê a criação de 1.500 postos de trabalho diretos e indiretos.
Recomendadas

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.

Mercado automóvel cresce 1,8% entre janeiro e novembro, mas muito longe dos números pré-pandemia

Dados da ACAP revelam que em termos globais, o mercado automóvel regista um crescimento de 1,8% entre janeiro a novembro de 2022, face a igual período do ano anterior. De referir que 11,1% dos veículos ligeiros de passageiros novos são elétricos (BEV).
Comentários