ONU adia primeira grande conferência de 2022

Um comunicado divulgado esta segunda-feira e citado pelo canal noticioso ‘online’ ONU News revela que o aumento do número de infeções pela variante Ómicron foi a razão para o adiamento.

A Organização das Nações Unidas (ONU) adiou esta segunda-feira, devido ao aumento de infeções com o coronavírus, a Conferência sobre os Países Menos Desenvolvidos planeada para janeiro, considerada a primeira grande conferência internacional de 2022.

A conferência da ONU que deveria ter lugar entre 23 e 27 de janeiro na capital do Qatar, Doha, foi adiada para data a confirmar, por decisão conjunta com o país anfitrião, para reduzir riscos de saúde relacionados com a pandemia de Covid-19.

Quarenta e seis países, que abrangem cerca de 40% da população mais pobre do mundo, são considerados Menos Desenvolvidos.

Este grupo inclui cinco países de língua portuguesa: Angola, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

A conferência internacional iria receber milhares de representantes de países-membros da ONU, da sociedade civil, do sector privado e instituições académicas, para participarem num programa focado em tecnologia, juventude, investimentos em bem-estar social, comércio, integração, alterações climáticas e pandemia.

No final da conferência esperava-se a adoção da Declaração de Doha e um plano de ação para o desenvolvimento dos países menos avançados.

Um comunicado divulgado esta segunda-feira e citado pelo canal noticioso ‘online’ ONU News revela que o aumento do número de infeções pela variante Ómicron foi a razão para o adiamento.

A conferência deverá realizar-se de forma presencial numa data a anunciar no início do próximo ano.

Recomendadas

Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.

Covid-19: Índice de transmissão do vírus volta a subir para os 1,06 em Portugal

O índice de transmissibilidade (Rt) do coronavírus SARS-CoV-2 voltou a subir em Portugal para os 1,06 e todas as regiões estão com este indicador acima do limiar de 1, indicou hoje o Instituto Ricardo Jorge (INSA).

Primeiro-ministro espanhol testou positivo à Covid-19

Sánchez não disse se estava a sentir-se doente ou se iria cancelar outros compromissos na próxima semana.
Comentários