“A ONU não resolve os problemas, mas provoca-os”, diz Trump

O próximo líder dos EUA tem vindo a atacar a ONU, depois da decisão do Conselho de Segurança em censurar os colonatos israelitas na Palestina.

REUTERS/Shannon Stapleton

O futuro presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar a ação das Nações Unidas (ONU), dizendo que a organização de promoção da paz e cooperação internacional “não está à altura” e que em vez de resolver os problemas, “os provoca”.

“Quando é que se viu a ONU a resolver problemas? Não o faz, causa problemas”, afirmou Donald Trump aos jornalistas, à porta de um hotel em Miami, onde está a passar férias.

O magnata nova-iorquino tem vindo a atacar a ONU desde que, na sexta-feira passada, o Conselho de Segurança aprovou uma resolução que condena a política de colonatos israelitas na Palestina.

“As Nações Unidas têm tanto potencial, mas neste momento não passa de um clube para pessoas se juntarem, falarem e passarem um bom bocado. Tão triste!”, escreveu, na altura na sua conta de Twitter.

Donald Trump fez saber ainda que as coisas vão ser “diferentes depois de 20 de Janeiro”, dia em que toma posse como novo inquilino da Casa Branca.

Recomendadas

Rússia apoderou-se formalmente da central nuclear de Zaporijia

A central de Zaporijia, a maior central nuclear da Europa, está nas mãos das tropas russas desde o início de março.

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Prémio Nobel da Química para 3 cientistas responsáveis química ‘bioorthogonal’

O termo química ‘bioorthogonal’ refere-se a qualquer reação química que pode ocorrer dentro de sistemas vivos sem interferir nos processos bioquímicos nativos. O termo foi cunhado por Carolyn R. Bertozzi em 2003.
Comentários