ONU prevê que PIB de Portugal cresça 0,5% este ano e 1,7% em 2024 (com áudio)

A Organização das Nações Unidas prevê que o PIB de Portugal cresça 0,5% este ano e 1,7% em 2024, segundo o relatório económico daquela estrutura.

A Organização das Nações Unidas (ONU) prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal cresça 0,5% este ano e 1,7% em 2024, segundo o relatório económico, divulgado esta quarta-feira.

Os números, em geral, colocam Portugal num patamar não muito diferente do da União Europeia como um todo, que deverá crescer 0,2% em 2023 e 1,6% no próximo ano, segundo os cálculos das Nações Unidas.

Estas projeções integram o principal relatório económico da ONU, o ‘World Economic Situation and Prospects Report 2023’, que estima ainda que a inflação desça em Portugal para 6,2% em 2023 e 3,4% no próximo ano, ficando acima de Espanha, por exemplo, que deverá registar uma inflação de 4,9% este ano e 2,5% em 2024. A inflação na União Europeia deverá ficar em 6,6% no corrente ano e em 3,3% em 2024.

Em relação ao desemprego, o relatório das Nações Unidas estima que a taxa em Portugal se fixe em 5,9% este ano e 6% em 2024.

De acordo com o relatório apresentado hoje, a organização prevê um abrandamento acentuado do crescimento na generalidade das economias avançadas do mundo, num contexto marcado por inflação e taxas de juro elevadas.

No caso da Europa, a ONU destaca o impacto da guerra na Ucrânia, com queda no consumo e no investimento em decorrência dos altos custos de energia, preços mais altos e condições financeiras desfavoráveis.

Isso fará com que muitos países da região caiam numa recessão “leve”, segundo a ONU, que prevê pequenas contrações económicas durante 2023 na Alemanha, Itália, Grécia, Áustria, Dinamarca, Finlândia ou Suécia.

No seu relatório, a Organização das Nações Unidas lembra que o PIB de vários países europeus ainda está a recuperar do colapso sofrido na sequência da pandemia de covid-19.

Segundo dados da ONU, a economia portuguesa cresceu 6,6% em 2022, após ter registado 4,9% em 2021 e uma contração de 8,4% em 2020.

Em 2023, a organização espera que a inflação modere apenas de forma gradual na Europa e alerta que as autoridades monetárias europeias têm de encontrar um difícil equilíbrio para garantir que as suas medidas de contenção de preços não agravem o abrandamento económico.

Recomendadas

Governo confiante na execução plena do PRR, garante Mariana Vieira da Silva

A ministra da Presidência reconheceu a necessidade de agilizar processos, reforçando que essa é uma das linhas de ação do Governo no dia em que Portugal recebeu mais uma tranche de 1.800 milhões de euros do PRR vindos de Bruxelas.

Governador da Fed avisa que taxas de juro poderão continuar a subir

O governador da Reserva Federal norte-americana, Christopher Waller, disse esta quarta-feira que a inflação ainda não está contida e deu um sinal aos mercados: as taxa de juro vão continuar a subir, provavelmente acima das projeções dos analistas.

Preços do GPL engarrafado em janeiro entre 8% e 10% superiores à estimativa da ERSE

Os preços do GPL engarrafado anunciados pelos operadores em janeiro foram entre 8% e 10% superiores à estimativa da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), segundo o Relatório Mensal de Supervisão dos Preços do GPL engarrafado, hoje divulgado.
Comentários