Opel karl: Modelo de entrada de gama da Opel aparece em meados de 2015

Pequeno e com um custo próximo dos 10 mil euros. O futuro Karl será o modelo de entrada de gama da Opel. Vem complementar o espaço do Corsa e do Adam. Pequeno mas espaçoso, atraente e prático, o novo Karl será, a partir de meados de 2015, o modelo de entrada na gama de produtos […]

Pequeno e com um custo próximo dos 10 mil euros. O futuro Karl será o modelo de entrada de gama da Opel. Vem complementar o espaço do Corsa e do Adam.

Pequeno mas espaçoso, atraente e prático, o novo Karl será, a partir de meados de 2015, o modelo de entrada na gama de produtos da Opel. O novo automóvel mede 3,68 metros de comprimento, tem cinco portas, oferece espaço para cinco pessoas e será colocado no mercado a preços a rondar 10 mil euros. No conjunto, os modelos Karl, Adam e Corsa formam uma frente extremamente competitiva da marca alemã no mercado dos citadinos e utilitários.

“O Karl é o automóvel ideal para quem procura um modelo acessível que combine o sentido prático com o conforto e as tecnologias modernas”, explica o CEO do Opel Group, Karl-Thomas Neumann. O novo elemento da gama Opel vai oferecer numerosos equipamentos de segurança, de conforto e de informação e entretenimento que não têm rival neste segmento. O Karl será motorizado pelo 1.0 de três cilindros da mais recente geração de motores a gasolina da Opel.
Sob o capô dianteiro está um novo 1.0 Ecotec a gasolina, que debita 75 cv de potência. Trata-se de um moderno propulsor de três cilindros que faz parte da mais recente geração de motores da Opel, que sobressai pela suavidade de funcionamento. Desenvolvida especificamente para o Karl, esta unidade coloca a tónica na eficiência e tem acoplada uma caixa manual de cinco velocidades. Por seu turno, a suspensão e a direção garantem segurança e conforto de nível de topo nesta classe de veículos.

O Karl vai disponibilizar equipamentos pouco comuns em produtos desta faixa de preços, fazendo jus à tradição da Opel de oferecer tecnologia a preços acessíveis. Além do “Programa eletrónico de estabilidade” (ESP) com “Controlo de tração” e do ABS com “Controlo eletrónico da distribuição de travagem”, o equipamento de série do Karl vai incluir também sistema de “Assistência ao arranque em subida”. O novo Opel pode acrescentar o “Alerta de saída de faixa”, que recorre a sensores de câmara para fazer uma leitura da estrada à frente e acionar um aviso sonoro se o condutor inadvertidamente sair da faixa de rodagem. Os faróis de nevoeiro possuem a função de luz de curva. Na lista de equipamentos de conforto podem ainda entrar o aquecimento do volante e o teto de abrir. O infoentretenimento a bordo do novo Opel pode estar a cargo do IntelliLink, sistema que permite integrar variadas funções e aplicações de smartphones com sistemas operativos Apple iOS e Android. O Opel Karl vai oferecer à escolha 10 cores exteriores de carroçaria e vários desenhos de jantes de 14 a 16 polegadas de diâmetro. O modelo de entrada na gama Opel vem complementar, a partir do verão de 2015, a oferta da marca em automóveis citadinos e utilitários.

 

OJE

Recomendadas

Excendente orçamental melhora para 2,3 mil milhões de euros em agosto

Este valor representa uma melhoria de 9.211 milhões de euros em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo o comunicado do Ministério das Finanças.

Banco Nacional de Angola desce juros, em contraciclo com os outros bancos centrais

O comité que decide a política monetária angolana justificou a descida dos jurps com a “consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior”.

CAP contesta que tese de que subsídios dados aos agricultores sejam “perversos”

“A temática da água, do seu bom uso e utilização como recurso, é um assunto levado muito a sério pelos agricultores e demasiado importante para se subordinar a declarações falsas e difamatórias de um único responsável”, refere a confederação em resposta a Joaquim Poças Martins.