Operação Natal regista três mortos e 442 acidentes em dois dias 

Os militares da guarda detetaram ainda 71 infrações rodoviárias por excesso de álcool durante a condução, 1.080 condutores em excesso de velocidade, 77 infrações por falta de uso do cinto de segurança e 119 por utilização indevida do telemóvel.

Três pessoas morreram e 120 ficaram feridas, 13 das quais estão em estado grave, nos 442 acidentes de viação registados pela GNR desde o início da operação Natal-Ano Novo de 2020 na quarta-feira. Segundo fonte oficial da GNR, além dos três mortos foram registados 13 feridos graves e 107 feridos ligeiros.

Os militares da guarda detetaram ainda 71 infrações rodoviárias por excesso de álcool durante a condução, 1.080 condutores em excesso de velocidade, 77 infrações por falta de uso do cinto de segurança e 119 por utilização indevida do telemóvel.

A GNR intensificou o patrulhamento rodoviário entre quarta-feira e 04 de janeiro

Em contexto de pandemia, a GNR alerta os condutores para que se abstenham de ações, atitudes e comportamentos que poderão potenciar a propagação do novo coronavírus, devendo seguir e garantir o cumprimento das orientações da Direção-Geral da Saúde.

Pede também que se cumpram as regras de circulação decorrentes dos normativos aprovados no âmbito do atual estado de emergência e que as pessoas mantenham o distanciamento físico.

Recomendadas

Ivo Rosa admite que desistia da candidatura à Relação se soubesse da acusação no processo disciplinar

O magistrado está convencido de que estava “absolutamente inocente” em relação aos factos invocados na ação do órgão de gestão e disciplina dos juízes e reiterou que “o único desfecho seria o arquivamento do processo disciplinar”.

Associação alerta que acesso a medicamentos genéricos pode ficar comprometido

“Caso não sejam implementadas medidas urgentes para assegurar a sustentabilidade da cadeia de produção dos medicamentos genéricos e biossimilares, é o acesso dos cidadãos à saúde que está comprometido”, adiantou a presidente da APOGEN.

“Vamos ter um momento de viragem do que é o SNS”

Há uma espécie de CEO no Serviço Nacional de Saúde. Com problemas identificados e a evidência de que a envolvente só vai piorar, a Associação Comercial do Porto (ACP) quis deixar alguns conselhos a Fernando Araújo.
Comentários