Oposição “firme” e “sem conluio”. Le Pen consegue melhor resultado de sempre da extrema-direita em França

O partido liderado por Marine Le Pen é o “herdeiro” da Frente Nacional, liderado pelo seu pai, Jean-Maria Le Pen, partido que em 1986 conquistou 35 deputados, quando os assentos se repartiam por representação proporcional. A União Nacional ultrapassa largamente essa cifra nestas eleições.

A líder do partido União Nacional, Marine Le Pen, prometeu hoje uma oposição “firme” e “sem conluio”, mas “responsável e respeitosa” das instituições, após os resultados provisórios das legislativas apontarem para um reforço substancial de deputados.”

“É de longe o [resultado] mais numeroso da história da nossa família política”, sustentou Le Pen, em Hénin-Beaumont (Pas-de-Calais), na primeira reação aos resultados da segunda volta das eleições legislativas francesas.

Referindo-se ao reforço acentuado do número de deputados do Rassemblement National (União Nacional, RN) que poderá chegar aos 100 – face aos atuais oito assentos na Assembleia nacional -, a líder da extrema-direita francesa prometeu que o partido vai fazer uma oposição “firme” e “sem conluio”.

No entanto, a União Nacional vai fazê-lo de forma “responsável e respeitosa” das instituições francesas, comentou.

O partido liderado por Marine Le Pen é o “herdeiro” da Frente Nacional, liderado pelo seu pai, Jean-Maria Le Pen, partido que em 1986 conquistou 35 deputados, quando os assentos se repartiam por representação proporcional.

A União Nacional ultrapassa hoje largamente essa cifra, uma vez que as primeiras projeções apontam para um máximo de 100 deputados.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, perdeu a maioria absoluta no parlamento, indicam as primeiras projeções.

Caso se confirmem estes resultados, significam um importante revés para o Presidente francês, que será forçado a procurar alianças para aplicar o seu programa de reformas nos próximos cinco anos.

Segundo as primeiras projeções, a coligação Ensemble! (Juntos!) do Presidente obterá entre 200 e 260 lugares, muito longe da maioria absoluta de 289 deputados (num total de 557) na Assembleia nacional.

Já a aliança de esquerda Nova União Popular Ecológica e Social (NUPES), liderada por Jean-Luc Mélenchon, situa-se entre 150 e 200 deputados, tornando-se no primeiro grupo da oposição no Parlamento, segundo as projeções.

Relacionadas

Extrema-direita francesa felicita-se pelo “tsunami” eleitoral nas legislativas

“É uma vaga de azul-marinho por todo o país. A lição desta tarde é que o povo francês faz de Emmanuel Macron um Presidente minoritário”, declarou Jordan Bardella à estação televisiva TF1, na sequência das primeiras projeções que fornecem entre 60 a 100 deputados à Assembleia nacional para o RN, um resultado histórico.

Emmanuel Macron perde maioria absoluta nas legislativas francesas

Primeiras projeções da segunda volta das eleições legislativas francesas apontam para uma perda da maioria absoluta de Emmanuel Macron assim como uma forte subida da extrema direita.
Recomendadas

Bruxelas prepara plano de emergência para precaver corte total de gás russo

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, anunciou hoje perante o Parlamento Europeu que o seu executivo vai apresentar este mês um plano de emergência europeu para precaver um eventual corte total de fornecimento de gás russo.

“Sarrabulhada” governativa na ementa do Congresso do PSD. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Boris Jonhson nomeia novos ministros para as Finanças e Saúde depois de demissões (com áudio)

Os ministros de saída demitiram-se na terça-feira alegando perda de confiança no primeiro-ministro britânico.
Comentários