Organizações cívicas em protesto contra expansão do aeroporto de Lisboa

Um grupo de organizações cívicas manifestou-se no aeroporto de Lisboa contra o seu alargamento e a construção de um novo no Montijo, alertando para o impacto na saúde e no ambiente.

Um grupo de organizações cívicas manifestou-se no aeroporto de Lisboa contra o seu alargamento e a construção de um novo no Montijo, alertando a população para o impacto na saúde e no ambiente.

José Encarnação, da Plataforma Cívica Aeroporto BA6 — Montijo Não, uma das organizações presentes, em declarações à agência Lusa disse que esta iniciativa (alargamento do aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa e construção de um novo no Montijo) “são uma clara contradição do discurso que o primeiro-ministro fez na cimeira climática COP25″ não correspondendo a decisões comissão europeia”.

“Esta é a pior contribuição que Portugal dá para combater as alterações climáticas”, disse adiantando que a iniciativa visou chamar a atenção para estes dois processos em curso que “estão cheios de irregularidades porque as obras que deverão começar em janeiro para alargar os movimentos do aeroporto Humberto Delgado deviam ser sujeitas a um estudo de impacto ambiental e não foram”.

Outra vertente, adiantou, é a construção de um novo aeroporto numa zona de reserva natural do estuário do Tejo, um dos maiores santuários da Europa por onde passam mais de 2.000 aves.

Também Anne, da ATERRA, organização pela redução do tráfego aéreo e por uma mobilidade que respeite os limites do planeta, chamou a atenção que apesar de Portugal ter assinado um plano de descarbonização está agora a expandir o aeroporto. “Temos de reagir. O Governo tem de ouvir o povo e cuidar da saúde e do ambiente”, disse.

A iniciativa “Mais Aviões Não” foi promovida pela campanha ATERRA, em conjunto com a Plataforma Cívica Aeroporto BA6-Montijo Não, a ZERO, a União dos Sindicatos de Lisboa e várias outras organizações.

A deputada Inês Sousa Real, do partido PAN — Pessoas-Animais-Natureza, associou-se também ao protesto, indicando que está em causa a qualidade da população e que o aeroporto Humberto Delgado é um dos aeroportos que maior pressão causa na qualidade de vida das populações.

Relativamente ao Montijo a deputada disse que é uma opção desastrosa do ponto de vista ambiental e social estando previsto num ecossistema único, numa área protegida.

A ANA – Aeroportos de Portugal e o Estado assinaram em 08 de janeiro o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, que prevê um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 e inclui a extensão da atual estrutura, Aeroporto Humberto Delgado (em Lisboa), e a transformação da base aérea do Montijo.

Recomendadas

5 de outubro: Montenegro acusa Governo de degradar ambiente político com casos

Luís Montenegro falava aos jornalistas no final da cerimónia oficial das comemorações do 112.º aniversário da implantação da República em Portugal, na qual o Presidente da República falou dos governos que “tendem quase sempre a ver-se como eternos” e das oposições “quase sempre a exasperarem-se pela espera”, afirmando em seguida que “nada é eterno” e que “a democracia é por natureza o domínio da alternativa, própria ou alheia”.

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Itália. Governo Meloni deverá misturar técnicos e fiéis da líder

O próximo Governo de Itália, chefiado por Giorgia Meloni, deverá combinar figuras de renome técnico, em pastas cruciais para as relações com Bruxelas, e fiéis da futura primeira-ministra, segundo analistas ouvidos pela Lusa.
Comentários