Organizações não governamentais criticam COP 25 de “traição” às pessoas

Organizações não governamentais ambientalistas consideraram hoje que os projetos de resolução que a cimeira do clima da ONU tem para aprovar são “uma traição” do Acordo de Paris e dos milhões de pessoas que sofrem com as alterações climáticas.

Em conferência de imprensa à margem da 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, em Madrid, a diretora executiva da Greenpeace, Jennifer Morgan, afirmou que os textos propostos a discussão, tal como estão seriam “uma traição de pessoas em todo o mundo que sofrem com os impactos e pedem ação”.

“A presidência chilena [da COP25] tinha uma única tarefa: proteger a integridade do Acordo de Paris e não deixar que fosse destruído pelo cinismo e pela ganância. Neste momento, falhou, ouviu os poluidores em vez de ouvir as pessoas”, considerou.

Falando pela organização ambiental africana Power Shift Africa, Mohammed Adu chamou “desastroso” ao que se prepara para ser discutido em Madrid, afirmando que é “extremamente desapontante, o pior que se viu neste processo nos últimos dez anos”.

Recomendadas

Projeto premiado limpa e reaproveita lixo do fundo do mar

Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros, interface da Universidade do Minho, e empresas Neutroplast, JustDive e Bitcliq vencem Prémio Inova+ e querem retirar cinco toneladas de plástico junto a Peniche para produzir 2,5 toneladas de pellets.

Entregas ao domicílio da IKEA serão totalmente elétricas até 2025, diz CEO

A meta para 2030 é ser uma empresa positiva para o clima, isto é, reduzir mais gases de efeito estufa do que aqueles que são emitidos por toda a sua cadeia de valor.

Desafios tecnológicos, burocracia, renováveis e perda de água em debate

A transição energética em Portugal e na Europa esteve em debate na conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.
Comentários