Os desafios do serviço ao cidadão no contexto da pandemia

No novo panorama que vivemos o serviço ao cidadão tornou-se remoto e maioritariamente digital. No dia 28 de abril, descubra como resolver estes desafios identificando iniciativas que permitem melhorar o atendimento ao cidadão no curto prazo.

Com o aparecimento e evolução do coronavírus (Covid-19), o mundo vive numa realidade diferente e são poucos os setores de atuação que ainda não foram afetados. O setor público, e mais concretamente a área de serviço ao cidadão, está a ser especialmente impactado por todas as súbitas mudanças nos métodos de trabalho a que as atuais medidas de contingência obrigam.

Neste momento, o atendimento ao cidadão e munícipe passou a ser totalmente remoto e, por isso, dependente de ferramentas digitais. Devido a esta alteração, a capacidade de resposta face ao elevado nível de volume e processos revela não estar preparada para esta nova realidade. Manter o nível de serviço de atendimento pessoal neste novo normal tem-se revelado um grande desafio para diversas instituições governamentais.

No dia 28 de abril, pelas 09h30, garanta o seu lugar nesta sessão da Unipartner, e conheça a visão e experiência comprovada de especialistas na gestão da relação com clientes ou cidadãos acerca de como o setor público pode otimizar a gestão da comunicação com os cidadãos de forma eficiente.

A automatização da comunicação no setor público providencia atendimento personalizado aos cidadãos durante 24 horas por dia com baixos tempos de resposta. Esta automatização diminui a carga de trabalho dos funcionários, permitindo que estes se foquem em outras tarefas essenciais ao seu trabalho.

O painel de oradores desta sessão será composto por Fernando Reino da Costa, Presidente e CEO da Unipartner; Sofia Carvalho, Vice-Presidente do Instituto dos Registos e Notariado (IRN); Nuno Alves, Manager na Unipartner e Francisco Ceia, Services Leader na Unipartner.

Para participar registe-se aqui e descubra como implementar e tirar proveito de todos os benefícios da automatização no contexto que todos enfrentamos.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Unipartner.

Recomendadas

Angola. Processo de reprivatização da UNITEL já começou

Em outubro, o presidente de Angola anunciou a transferência para o Estado, através de nacionalização, das participações da Vidatel e da Geni na operadora de telecomunicações angolana Unitel, detidas até então por Isabel dos Santos e pelo general Leopoldino Fragoso do Nascimento “Dino”.

Vodafone. Quatro anos depois e com ações a valerem menos 40%, Nick Read renuncia ao cargo de CEO

A atual diretora financeira, Margherita Della Valle será CEO interina, avança a “Reuters”. As ações da empresa subiram 1,6% no pre-market em resposta ao anúncio.

Acionistas da Corticeira Amorim votam hoje contas até setembro e e dividendo de 9 cêntimos

Os acionistas da Corticeira Amorim votam hoje, em assembleia geral, as contas individuais dos primeiros nove meses do ano e a distribuição de um dividendo bruto de nove cêntimos por ação.
Comentários