Oito truques para poupar dinheiro neste Natal

Trata-se de oito truques onde pode poupar o dinheiro que tem guardado para as prendas de Natal. Do planeamento aos cartões de oferta, descubra quais são as dicas do Doutor Finanças para poupar na quadra natalícia.

Quando se trata de fazer compras de Natal, parece que o dinheiro desaparece mais rápido do que a quantidade de prendas que se compram. Para evitar demasiados gastos, o Doutor Finanças destacou oito dicas que os consumidores devem seguir na quadra natalícia para evitar os gastos avultados.

O primeiro passo, e onde se gasta mais, é planear as compras. Este processo ajuda a poupar dinheiro mas também evita tempo perdido nas filas, sendo que ao definir um orçamento é possível ajustar as opções às capacidades financeiras reais, despendendo despesas adicionais que são desnecessárias.

O segundo truque para poupar este Natal prende-se em aproveitar as promoções. A Black Friday e a Cyber Monday podiam ser as desculpas ideais para o consumismo mas as promoções destes dois dias também serviram para muitos portugueses riscarem algumas prendas da lista de ofertas. Aqui, também as promoções pontuais servem para poupar e para ter mais poder de escolha, quando se trata de comprar os presentes com antecedência.

Optar por comprar em lojas online pode facilitar a logística de tempos de espera e também reduz as despesas de Natal. Por norma, os preços dos produtos adquiridos online são mais em conta, ainda que a espera pelo produto na caixa de correio possa demorar um pouco nesta época. Utilizando o modo online quando se trata de compras online, é possível que os consumidores utilizem comparadores de preços nos produtos.

O quatro truque do Doutor Finanças é realizar compras em conjunto. “Muitas vezes opta-se por oferecer presentes em conjunto e aproveitar para comprar um presente mais caro”, explica o Doutor Finanças. Esta é uma boa alternativa para economizar e oferecer um presente que apenas uma pessoa não teria oportunidade.

Além dos gastos com os presentes para família e amigos, a alimentação também é uma parte importante da quadra natalícia. Sobremesas, bolos e refeições são uma grande fatia do orçamento de Natal, que pode ser reduzida se os consumidores confecionarem a parte alimentícia em casa.

Evitar pagar as compras com cartão é uma das dicas para conseguir poupar esta quadra. Com as compras em diversas lojas, é possível perder a noção do dinheiro gasto quando se trata do pagamento em cartão. Assim, e embora na altura do Natal seja quase impossível encontrar uma caixa multibanco com dinheiro disponível, o Doutor Finanças aconselha que este seja a escolha de pagamento na altura de pagar os presentes.

“Os riscos do crédito ligado ao consumo são mais elevados na época natalícia”, sublinha o Doutor Finanças, aconselhando para não recorrer a créditos pessoais. De acordo com dados do Banco de Portugal, o crédito ao consumo fixou-se acima dos 550 milhões de euros desde janeiro deste ano, concluindo-se que as famílias portuguesas têm recorrido a este crédito.

A última dica útil do Doutor Finanças é o recurso a cartões de oferta. Esta é uma ferramenta para manter o orçamento familiar e limitar o valor por presente. Desta forma, o presente também se torna uma oportunidade para quem recebe, uma vez que recebe saldo extra para gastar onde gosta ou precisa.

Recomendadas

Conheça algumas dicas para tornar a sua casa mais confortável no próximo inverno

Com o aproximar do inverno e em contexto de crise energética, torna-se ainda mais relevante aumentar a eficiência energética no interior das habitações. A plataforma online Taskrabbit dá a conhecer algumas dicas.

O excesso de peso da mochila pode ser prejudicial à saúde do seu filho

É importante redobrar os cuidados e repensar nos materiais a levar para a escola, já que a mochila com peso tem um forte impacto na postura da criança.

Se é consumidor idoso, saiba como pode proteger-se de possíveis fraudes ou vendas agressivas

A DECO considera importante que o consumidor idoso se dote de toda a informação disponível, de forma a proteger-se e prevenir-se face a estas eventuais fraudes, das quais destacamos as armadilhas como a usurpação dos dados pessoais e o uso e “abuso” da assinatura. 
Comentários