Outubro regista novo recorde com 236 mil carregamentos na rede Mobi.E

O crescimento refletiu-se também na energia consumida. Em outubro, foram consumidos cerca de 3,6 milhões kWh (kilowatts/hora) representando uma subida de 81,5% em relação ao período homólogo.

No último mês, foram registados cerca de 236 mil carregamentos na rede Mobi.E, o que representa uma subida de 55,5% em comparação com o mesmo mês de 2021.

Outubro foi assim o melhor mês de sempre em número de carregamentos na rede Mobi.E com 235.851 carregamentos efetuados. Comparando com o mesmo período do ano passado, a subida foi de 55,5%.

O crescimento refletiu-se também na energia consumida. Em outubro, foram consumidos cerca de 3,6 milhões kWh (kilowatt-hora)  representando uma subida de 81,5% em relação ao período homólogo.

“Durante o mês de outubro, foram mais de 24.500 utilizadores diferentes a carregarem o seu veículo na rede Mobi.E, o que contribui para que, desde janeiro, tenham sido mais de 64.400 utilizadores a usarem pelo menos uma vez a rede Mobi.E”, refere a empresa estatal.

No mês passado, foram utilizados 3.055 postos em toda a rede Mobi.E, superando, assim, pela primeira vez, a barreira dos 3.000 postos de carregamento, dos quais 2.895 são de acesso público, correspondendo a 5.270 pontos de carregamento disponíveis em todo o território nacional, incluindo Regiões Autónomas.

Durante o ano de 2022, a rede Mobi.E de acesso público tem vindo a crescer ao ritmo de 24 postos de carregamento por semana.

Recomendadas

CEO da EDP diz que Portugal tem sido “exemplo de estabilidade” nos preços para as famílias

Em declarações aos jornalistas durante uma visita a um parque solar flutuante em Singapura, o CEO da EDP disse que a evolução dos preços em Portugal, incluindo um aumento médio de cerca de 3% do valor global da fatura de eletricidade dos clientes residenciais da EDP Comercial a partir de janeiro, “é uma coisa perfeitamente estável face ao enquadramento que existe”.
Pedro Saraiva, Vice-reitor da Universidade NOVA de Lisboa

Produtividade aumentará se as empresas interagirem mais com as universidades, diz vice-reitor da NOVA

Pedro Saraiva diz que muitas empresas até produzem já com um grau razoável de inovação, mas menos de 10% o faz em parceria com universidades. E essa é a grande lacuna, que quando ultrapassada contribuirá significativamente para resolver o problema da produtividade.

Emissão obrigacionista da Sonangol é “bem vinda” para a bolsa angolana

Segundo o responsável do Departamento de Desenvolvimento de Mercado da Bodiva, Nivaldo Matias, a iniciativa da Sonangol ainda não foi dada a conhecer formalmente à instituição, contudo, a decisão da petrolífera é “bem-vinda”.
Comentários