Pagar IRS em prestações: como funciona?

Caso tenha de pagar imposto adicional, pode optar pelo pagamento do IRS em prestações. Saiba, no nosso artigo, como tratar deste processo.

É possível que o cálculo do seu IRS não resulte em reembolso, mas antes numa cobrança adicional. Caso tal lhe suceda, a Autoridade Tributária e Aduaneira enviar-lhe-á uma nota de cobrança que deverá ser liquidada até ao dia 31 de agosto.

Se sentir dificuldades em gerir todas as despesas e não conseguir cumprir esse prazo, fique a saber que poderá pagar IRS em prestações sem garantia. Veja, neste artigo realizado pelo ComparaJá, como o poderá fazer.

Quem pode pagar IRS em prestações?

Este método de pagamento destina-se a contribuintes que tenham um valor de imposto a pagar igual ou inferior a 5.000 euros. Esta operação pode ser, assim, realizada em prestações sem necessidade de apresentar uma garantia.

Para que o possa fazer não poderá ter nenhuma dívida anterior ao Fisco e terá de ter entregue a sua declaração de IRS dentro dos prazos estipulados para o mesmo.

Se cumprir com estas condições e não conseguir pagar o imposto adicional antes de 31 de agosto, pode, então, pedir para pagar esse montante através de um sistema de prestações.

Como pedir para pagar IRS em prestações?

É possível pedir para pagar IRS em prestações através do Portal das Finanças. Basta seguir estes dez passos:

  1. Aceda ao Portal das Finanças e autentique o seu registo em “Iniciar Sessão”. Terá de indicar o seu número de contribuinte e a sua senha de acesso;
  2. Pesquise por “prestações” na barra de pesquisa;
  3. Na opção “Planos prestacionais”, terá de clicar em “Aceder”;
  4. Escolha a opção “ Simular/Registar pedido” e carregue em “Registo”;
  5. Será apresentada a nota de cobrança relativa ao pagamento do IRS, tendo nesta fase de clicar em “Simular”;
  6. Terá de selecionar a opção “Sem apresentação de garantia” e carregar em “Confirmar”;
  7. Para fazer a simulação do plano prestacional tem de escolher o número de prestações consoante a tabela disponibilizada acima;
  8. Na secção referente à “Razão Económica” terá de escolher, entre as opções apresentadas na lista, a que mais se adequa à sua situação;
  9. Em “Justificação do motivo indicado anteriormente”, escreva, de forma sucinta, o motivo pelo qual está a fazer o requerimento de pagar IRS em prestações;
  10. Por fim, pode proceder ao registo oficial do seu pedido.

Após fazer o seu pedido, a Autoridade Tributária e Aduaneira analisa a sua situação (para verificar se existem outras dívidas) e, caso a sua situação fiscal esteja regularizada, o requerimento é-lhe concedido automaticamente.

Em quantas prestações se pode pagar o IRS?

Para dívidas não superiores a 5.000 euros, é possível pagar IRS até 12 prestações mensais. Este número irá depender do valor de imposto que tiver a pagar:

Pagar IRS em Prestações
Valor de IRS em dívidaNúmero máximo de prestações
De 204 a 350 euros2
De 351 a 500 euros3
De 501 a 650 euros4
De 651 a 800 euros5
De 801 a 950 euros6
De 951 a 1.100 euros7
De 1.101 a 1.250 euros8
De 1.251 a 1.400 euros9
De 1.401 a 1.550 euros10
De 1.551 a 1.700 euros11
De 1.701 a 5.000 euros12

Caso a sua dívida seja superior a 5.000 euros ou pretenda um número maior de prestações para o seu pagamento, será necessária a apresentação de uma garantia, como uma caução ou uma hipoteca.

A garantia deve ser apresentada no prazo de 10 dias a contar desde a notificação de pagamento de IRS. Por sua vez, caso a opção recaia sobre uma hipoteca, então este prazo aumenta para 30 dias.

O valor atribuído à garantia será a soma da dívida e dos juros de mora, desde a data do pedido, acrescida de 25%. Para além dos meses destinados ao pagamento das prestações, acrescem mais três meses para o pagamento total da garantia.

Atenção:

Esta exceção só é aplicável a quem entregou a declaração de IRS dentro dos prazos legais.

Como é calculado o valor das prestações de IRS?

O valor das prestações que terá de pagar é calculado segundo o número de pagamentos mensais que estiverem previstos para o intervalo de valor em que se insira a sua dívida, de acordo com a tabela apresentada acima.

Por exemplo, se tiver de pagar 1.175 euros de IRS, tal significa que poderá pagar todo esse montante, no máximo, em 8 prestações.

Sendo assim, o valor total da dívida é dividido pelo número de prestações referente ao intervalo e o resultado deste cálculo será o montante mensal a pagar. A primeira prestação inclui as frações arredondadas das restantes prestações e deverá apresentar um valor ligeiramente superior ao das restantes.

Preste atenção:

A estas prestações são acrescentados juros de mora, desde o termo do prazo que terá para pagar, até ao mês do respetivo pagamento. Segundo o Aviso n.º 396/2022 do Diário da República, o valor da taxa dos juros de mora foi fixada em 4,510%.

Quando deve ser realizado o pagamento?

Para liquidar o IRS em prestações terá de proceder aos respetivos pagamentos até ao final de cada mês, findando esta obrigação quando o valor da dívida seja pago por inteiro. Pode realizar os pagamentos nos locais habituais para esse efeito, bastando apresentar o documento de cobrança associado.

As notas de cobrança são enviadas para a sua morada fiscal. Se aderiu ao serviço Via CTT, então esses documentos serão enviados por este meio.

O que acontece se falhar o pagamento de uma prestação?

É extremamente importante que pague o valor da prestação mensal na data indicada para tal. Caso falhe o pagamento de uma das prestações até ao final do mês, então será instaurado um processo de execução fiscal pelo valor em dívida.

Isto significa que o contribuinte deixará de poder pagar IRS em prestações e terá de pagar o valor total da dívida de forma imediata.

Relacionadas

Em que situações pode ocorrer uma penhora do reembolso do IRS?

Sabia que pode ser alvo de uma penhora do reembolso do IRS? Descubra aqui quando pode ocorrer e como agir perante a situação.

IRS Automático 2022: veja o passo a passo

Saiba se está abrangido pelo IRS Automático e veja como entregar de forma simples e rápida, passo a passo, esta declaração de imposto.

Guia IRS 2022: Tudo o que precisa de saber

Se ainda tem dúvidas sobre IRS, consulte o Guia IRS 2022 do ComparaJá.pt e descubra tudo o que há para saber sobre este imposto, desde o preenchimento à entrega.

Consignação IRS: como ser solidário sem custos?

Saiba, neste artigo, como fazer a consignação do IRS em 2022 e como esse simples gesto pode ajudar Associações de Solidariedade, sem custos para si.

Declaração IRS: conheça todos os anexos

Para quem não está inserido no regime de IRS automático, é necessário preencher a declaração deste imposto de forma manual. Por vezes pode ser um pouco confuso perceber quais os anexos que deve ou não entregar juntamente com a declaração. Descubra, neste artigo do ComparaJá.pt, quais são os formulários que se aplicam à sua situação. […]

Portal das Finanças: 10 serviços imprescindíveis

Conheça as principais funcionalidades do Portal das Finanças e saiba como tirar o máximo de proveito desta plataforma, poupando tempo e dinheiro.
Recomendadas

Cuidados a ter para uma entrevista de emprego bem sucedida

Os candidatos cometem, por vezes, erros de palmatória. O portal Alerta Emprego ouviu as empresas suas parceiras e apresenta cinco falhas comuns em processos de recrutamento que devem ser evitadas.

Saiba em que consiste o “direito ao esquecimento” na contratação de seguros de vida

Anteriormente a 2022, era recorrente que um consumidor que tivesse sofrido uma doença oncológica enfrentasse dificuldades no acesso a seguros de vida, sendo inclusivamente considerado um risco para a seguradora, quando esses seguros estavam associados ao crédito à habitação.

Do pré-primário ao secundário. O essencial do processo de matrículas e os calendários

As matrículas estão aí. Neste artigo explicamos-lhe como e onde se faz ou renova a matrícula, os documentos que são necessários e como ficar a saber a qual escola pertence o seu filho.
Comentários