Pampilhosa da Serra vai construir edifício destinado a ‘startups’ na área espacial

A Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, vai construir um edifício, orçado em dois milhões de euros, para fixar ‘startups’ na área das ciências espaciais.

ESA

“Queremos que seja mais do que o tradicional espaço de ‘coworking’. Na verdade, este é um edifício que se vai posicionar única e exclusivamente para a fixação de empresas ‘startup’, sempre com o foco nas ciências espaciais”, disse hoje na conferência de imprensa de assinatura do protocolo entre a Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra e a empresa Neuraspace, o presidente da Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra, Jorge Custódio.

Orçado em cerca de dois milhões de euros, o edifício ficará localizado na vila da Pampilhosa da Serra.

A autarquia já tem o projeto para a obra e prevê a construção de salas, anfiteatro, auditório, bem como, a adoção de tecnologia atual.

A obra prevê ainda a construção de um espaço verde, com “bancadas digitais de trabalho”, que permitem trabalhar ao ar livre.

“A Câmara da Pampilhosa está tão embrenhada e tão convicta desta estratégia que com ou sem financiamento vai avançar com o projeto”, adiantou Jorge Custódio.

O autarca deu ainda nota de que a autarquia estará em condições de lançar a obra no “primeiro trimestre de 2023”.

Para além deste projeto a Câmara Municipal da Pampilhosa da Serra relembra que tem um ‘open space’ que está pronto a receber empresas nesta área.

A Pampilhosa da Serra é um “território diferente dos demais [devido a ter condições para fazer observação do espaço] e é precisamente nessa diferença que nós nos posicionamos e queremos apostar”, sublinhou.

O protocolo hoje assinado entre a Neuraspace e a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra visa a colaboração desta empresa nos territórios da CIM.

Está previsto, numa fase inicial, a Neuraspace estudar os espaços para depois começarem a fazer na Pampilhosa da Serra as suas reuniões com as suas equipas.

De acordo com o diretor de negócios da Neuraspace, Carlos Cerqueira, a ideia é “no primeiro trimestre de 2023 fazer já aqui o primeiro ciclo de desenvolvimento”.

“Queremos que isto [reuniões neste território], sejam uma prática comum da nossa empresa. Queremos ter também ter aqui um espaço para reuniões mais alargadas com as equipas. A Pampilhosa quer pelas suas características, quer pela Natureza”, tanto como pelas “infraestruturas que a Câmara tem disponibilizado para este tipo de empresas se revelam como um espaço único”, concluiu.

Integram a CIM Região de Coimbra os municípios de Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares, do distrito de Coimbra, e Mealhada e Mortágua, dos distritos de Aveiro e de Viseu, respetivamente.

Recomendadas

Tesla corta turnos na fábrica de Xangai

A entrada das novas contratações da fabricante automóvel para esta unidade de produção na China também foi adiada, segundo a Bloomberg.

BBC vai passar a estar em exclusivo no digital, diz o diretor geral

“Um desligar das transmissões vai acontecer com o tempo e devemos planear isto”, sublinhou o responsável. Com o desaparecimento das estações de televisão e rádio da BBC, estes programas podem ser continuados pela via digital.

Bruxelas quer que plataformas passem a cobrar IVA para evitar concorrência desleal

De acordo com as atuais regras de IVA, são os próprios prestadores de serviço – sejam motoristas ou donos de alojamento local – que são obrigados a coletar o IVA e a remiti-lo para as autoridades tributárias do seu país.
Comentários