PAN diz que requerimento do PSD para chamar Cravinho ao Parlamento “não deixa de soar a número político”

Apesar de considerar o requerimento um “número político”, o PAN também admite que “esta é mais uma oportunidade de prosseguir o debate sobre o tema e de se questionar o ministro sobre algumas respostas imprecisas dadas no plenário”.

O PAN classificou, esta segunda-feira, “como número político” o requerimento do PSD para que o antigo ministro da defesa João Gomes Cravinho volte ao Parlamento para esclarecimentos sobre suspeitas de corrupção no ministério da Defesa.

“Não há factos novos face à última audição de João Cravinho no plenário e às respostas dadas, pelo que este requerimento não deixa de soar a número político”, disse a líder do PAN, Inês de Sousa Real, em comunicado a que o Jornal Económico (JE) teve acesso.

Ainda assim, o PAN também admite que “esta é mais uma oportunidade de prosseguir o debate sobre o tema e de se questionar o ministro sobre algumas respostas imprecisas dadas no plenário”.

Esta segunda-feira, o PSD requereu debate com Gomes Cravinho e os sociais democratas elaboraram um conjunto de 30 perguntas às quais consideram que o antigo ministro da defesa não deu resposta no debate de urgência sobre este assunto em plenário, na altura marcado pelo Chega e realizado em 20 de dezembro.

O PSD considera que Gomes Cravinho deve esclarecer “quando é que teve conhecimento de que as obras de reabilitação do antigo Hospital Militar de Belém tinham custado o triplo do que estava inicialmente orçamentado” e, “se não autorizou” esse aumento de despesa, “quem o fez”.

A Iniciativa Liberal já admitiu que vai acompanhar o requerimento do PSD.

 

Recomendadas

Pedro Nuno Santos só regressa ao Parlamento no verão (com áudio)

Se o ministro demissionário não quiser voltar ao lugar de deputado na Assembleia da República, terá de renunciar ao lugar.

Parlamento debate hoje apreciações parlamentares sobre novo estatuto do SNS

O PSD propõe também que sejam criados “verdadeiros incentivos para os médicos de família terem a motivação necessária para ficarem no SNS, e possivelmente até atrair médicos que o SNS foi perdendo ao longo dos últimos anos, para procurar responder à questão da falta de médicos de família”.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

Pedro Nuno Santos prolonga suspensão do mandato; Fecho do ano traz otimismo mas famílias vão continuar a sofrer; Imposto fez baixar 38% a venda das bebidas mais açucaradas.
Comentários