Papa Francisco diz que NATO pode ter provocado invasão da Ucrânia pela Rússia (com áudio)

O Papa acredita que a NATO poderá ter facilitado o começo da invasão na Ucrânia. Francisco disse que quer visistar Putin em Moscovo.

O Papa Francisco sugeriu que a NATO poderá ter motivado a invasão da Rússia à Ucrânia, numa ocasião onde voltou a reforçar a sua vontade de se encontrar com o presidente russo.

Francisco disse que a NATO “ladrou” à porta da Rússia e que isto pode ter provocado a invasão da Ucrânia.

Numa entrevista ao jornal italiano “Corriere della Sera”, o Papa refletiu sobre a agressão letal da Rússia ao seu vizinho e disse que, embora não se possa chegar ao ponto de dizer que a presença da NATO em países próximos “provocou” Moscovo, e “talvez facilitou” a invasão.

Relativamente ao uso de armas, o pontífice está dividido quanto ao fornecimento de armas aos ucranianos.

“Estou muito longe de poder responder à questão sobre se é certo fornecer armamento aos ucranianos. O que está claro é que as armas estão a ser testadas naquela terra. Os russos sabem agora que os tanques são de pouca utilidade e estão a pensar noutras alternativas. As guerras são travadas para isso: para testar as armas que produzimos”, garantiu.

Quanto à visita aos países em guerra, o Papa explicou que primeiro quer ir a Moscovo e referiu que sente que não tem de ir à Ucrânia.

“Não vou a Kiev agora. Enviei o Cardeal Michael Czerny e o Cardeal Konrad Krajewski, que lá foram pela quarta vez. Sinto que não preciso ir. Primeiro tenho que ir a Moscovo, primeiro tenho que conhecer Putin”, destacou.

O Papa tem demonstrado, em diversas ocasiões, a sua vontade de se encontrar com e presidente russo e três semanas depois de ter começado a guerra, a 24 de fevereiro, Francisco formalizou um pedido e ainda aguarda resposta.

Relacionadas

Papa Francisco volta a pedir encontro com Putin (com áudio)

Primeiro pedido teve lugar três semanas após a invasão russa da Ucrânia, mas o líder do Vaticano voltou a insistir.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Guarda nazi de 101 anos condenado a cinco anos de prisão

O réu declarou-se inocente durante todo o processo, incluindo antes do veredicto conhecido.

Líder checheno prepara envio de quatro batalhões para a Ucrânia

Aliado checheno de Putin vai enviar soldados para a Ucrânia.
Comentários