Papa Francisco pede que dinheiro de armas seja direcionado para combate à Covid-19

“Quantos recursos são gastos em armamentos, especialmente armas nucleares, que poderiam ser usados ​​para prioridades mais significativas, como garantir a segurança das pessoas, a promoção da paz e do desenvolvimento humano integral, a luta contra a pobreza e a prestação de cuidados de saúde”, escreveu o Papa

O Papa Francisco pediu aos líderes mundiais, esta quinta-feira, que desviem fundos usados ​​no reforço do armamento para enfrentar problemas relacionados com a pandemia da Covid-19.

“Quantos recursos são gastos em armamento, especialmente armas nucleares, que poderiam ser usados ​​para prioridades mais significativas, como garantir a segurança das pessoas, a promoção da paz e do desenvolvimento humano integral, a luta contra a pobreza e a prestação de cuidados de saúde”, escreveu o Papa na sua mensagem para o Dia Mundial da Paz da Igreja Católica Romana, enviada aos líderes mundiais.

O chefe da Igreja Católica frisou que seria uma “decisão corajosa seria estabelecer um ‘Fundo Global’ com o dinheiro gasto em armas e outras despesas militares, a fim de eliminar permanentemente a fome e contribuir para o desenvolvimento dos países mais pobres”. Problemas, que na opinião de Francisco, “com a atual pandemia de COVID-19 e as mudanças climáticas tornaram esses desafios ainda mais evidentes”.

Na mensagem anual, este ano intitulada “Uma cultura de cuidado como caminho para a paz”, o Papa condenou o chamado “nacionalismo da vacina” e sublinhou que as nações mais pobres não deveriam ser deixadas para trás na luta contra o coronavírus. “Renovo o meu apelo aos líderes políticos e ao setor privado para não poupar esforços em garantir o acesso às vacinas Covid-19 e às tecnologias essenciais necessárias para cuidar dos doentes, dos pobres e dos mais vulneráveis”, pediu.

O Papa Francisco elogiou ainda profissionais de saúde e outros trabalhadores da linha de frente. “Diante da pandemia, percebemos que estamos no mesmo barco, todos frágeis e desorientados, mas ao mesmo tempo importantes e necessários, todos chamados a remar juntos”, rematou.

Relacionadas

Covid-19: Vaticano inicia plano de vacinação no início do próximo ano

Os trabalhadores e residentes do Vaticano, entre os quais o papa Francisco, vão poder começar a ser vacinados no início do próximo ano contra a covid-19, tendo reservado vacinas da empresa farmacêutica Pfizer.

Papa Francisco doa 100 mil euros para apoiar deslocados moçambicanos

“Num gesto de caridade pastoral, o Papa Francisco ofereceu 100 mil euros para podermos aplicar no atendimento aos deslocados”, referiu o prelado, detalhando ser um gesto frequente do líder da igreja católica face a situações complicadas em todo o mundo.

Papa Francisco envia os parabéns a Joe Biden

O Papa Francisco ofereceu a sua “bênção e parabéns” ao presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, num telefonema esta quinta-feira. O novo presidente é apenas o segundo, depois de Kennedy, a professar o catolicismo romano.
Recomendadas

Músicos afegãos refugiados apresentam-se hoje ao vivo no festival Iminente em Lisboa

 Na génese deste projeto está a cooperativa cultural Largo Residências, de Lisboa, distinguida no ano passado com o prémio da Acesso Cultura na categoria de Acessibilidade Social.

Portugal está na frente na diretiva sobre plásticos de uso único

“Portugal está no pelotão da frente porque já transpôs grande parte” da diretiva e propôs até medidas bastante ambiciosas, por exemplo, em termos de redução de copos de bebidas e embalagens de plástico para ´take away´ (redução de 80% até final de 2026 e de 90% até 2030, tendo por referência os valores de 2022), diz o comunicado da Zero.
Comentários